Detran fará leilão e destruirá carros para liberar pátio lotado

Pneus velhos, janelas e portas antigas, motores inservíveis. Carcaças. Este é o retrato fiel do pátio do Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL), que abriga cerca de 3.100 veículos resultantes de acidentes de trânsito e apreendidos durante fiscalizações de agentes de trânsito e militares. O local está superlotado e os carros já “invadem” a pista onde é realizada a prova prática de direção. Mesmo assim, o pátio continua a receber cerca de 500 veículos mensalmente. O órgão planeja leilões e vai contratar uma empresa para destruir os carros mais velhos.

De acordo com o superintendente operacional do Detran, José Willams da Silva, o pátio conta com 12 galpões em uma área de 700 m² no Tabuleiro do Martins, está abarrotado e há uma necessidade extrema de desafogar o espaço, mas, ao mesmo tempo, uma necessidade diária de fazer apreensões e fiscalizações por meio das blitze. As operações são feitas por agentes do Detran, militares do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran), agentes da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) e fiscais da Agência Reguladora de Serviços Públicos de Alagoas (Arsal) para atender todo o estado.

“Hoje, licenciamento anual irregular lidera o número de apreensões e é importante destacar que o pátio recebe veículos dessas operações. Hoje, contamos com cerca de 3.100 veículos, alguns há seis anos no local, ou seja, sem nenhum destino. Mas, o número daqui a alguns dias será maior porque uma média de 500 veículos entram no pátio por mês. Não temos o controle da situação”, explicou Willams.

Questionado sobre uma possível solução para o dilema, o superintendente informou que o Detran vai realizar, em breve, o 1º leilão de bens inservíveis, quando uma empresa de siderurgia vem à capital para desmontar e prensar os veículos. Atualmente, há 800 veículos somando 300 toneladas de carcaças que serão prensadas. O edital para o processo licitatório será publicado em dezembro.

Por outro lado, os demais veículos que ainda têm a possibilidade de rodarem vão a leilão a cada dois meses por força de lei federal publicada em agosto deste ano, reduzindo o intervalo de tempo entre os leilões. Antes, só poderia haver leilão com intervalo de 90 dias; hoje, o número cai para 60.

Segundo o subcomandante do BPTran, major Felipe Lins, é lamentável o grande número de veículos amontoados no pátio, mas, ao mesmo tempo, é o resultado da intensificação de abordagens na capital alagoana. Até o final do ano passado, conforme ressaltou o militar, havia apenas 10 fiscalizações por mês e, neste ano, há 45 mensalmente.

“Estatísticas do Detran apontam 65 mil condutores inadimplentes em Maceió. Não posso comemorar nada porque tanto o quantitativo de motoristas em débito é grande quanto o número de veículos sem uso nos galpões do Departamento de Trânsito. Ficaria satisfeito com todos os condutores em situação regular. Porém, fico feliz porque não teríamos esses índices se não houvesse aumento do número de fiscalizações. É preciso conscientização por parte dos motoristas”, informou o subcomandante, acrescentando que o batalhão realiza um trabalho nas escolas, de forma a educar estudantes e pais.

No interior do estado, a situação não é diferente. Hoje, há mais de 1 mil veículos guardados no pátio do 3º Batalhão e outros mil distribuídos em outras cidades, o que totaliza um montante de aproximadamente 5.300 veículos dependendo de um destino. “Não temos um controle porque há as Ciretrans distribuídas em vários municípios e são eles que detêm os números. Mas posso afirmar que a situação é gritante também em outras cidades, nos pátios dos batalhões que abrigam as carcaças”, explicou o superintendente.

Concurso público

Atualmente, o Detran convive com uma carência de 200 servidores, nas mais diversas aéreas. A realidade é dura em todo o estado. Há 14 anos, conforme reforçou o superintendente operacional, o estado não faz concurso público para suprir a atual demanda.

“O Detran só conta com 300 servidores efetivos, quando, em 2001, havia 600 profissionais, com exceção da segurança, limpeza e recepção. Precisamos de concurso público porque o número de profissionais diminuiu e a demanda de atividades só aumentou, havendo o pagamento de hora-extra porque os servidores excedem as 40 horas de concurso. Há dez anos, em Alagoas, tínhamos 150 mil condutores habilitados e 250 mil veículos e, hoje, 450 mil motoristas e 750 mil veículos. O Detran tem um milhão e duzentos mil clientes e realiza cerca de cem mil atendimentos por mês”, destaca.

José Willams explicou que o governador Renan Filho (PMDB) não tem condições de fazer concurso público para o Detran, mas pediu um estudo minucioso no Departamento, priorizando os setores da Teconologia da Informação (TI), Banca Examinadora e Vistoria Veicular. O chefe do Executivo informou à imprensa, nesta semana, que um “grupo especial” está elaborando um plano de ação para lançar concursos públicos no estado até 2018, através de um calendário anual.

Além da sede, que conta com as áreas administrativa, financeira e operacional, o Departamento abrange o Serviço de Atendimento ao Consumdidor (SAC), no Jardim Petrópolis, e os postos Já no Maceio Shopping e nos Shoppings Pátio e Farol. No interior, existem as Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) distribuídas nos municípios de Matriz de Camaragibe, União dos Palmares, Viçosa, Atalaia, Palmeira dos Índios, Santana do Ipanema, Delmiro Gouveia, Girau do Ponciano, Arapiraca, Penedo, Coruripe e São Miguel dos Campos.


Deixe um comentario