Soldado Moura morto em queda de helicóptero será sepultado em Palmeira dos Índios

O soldado Marcos de Moura Pereira, de 29 anos, nascido em São Paulo e com raízes em Palmeira dos Índios, foi uma das vitimas do acidente com o helicóptero usado pelo Grupamento Aéreo da Polícia Militar (PM) de Alagoas na manhã desta quarta-feira (23).

Nascido em 18.01.1986, era soldado da PMAL; ingressou na corporação em 17 de outubro de 2006, passando pelo 10º Batalhão de Palmeira dos Índios, e em seguida pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) e Grupamento Aéreo da SSP.

O velório do policial De Moura, estava previsto para acontecer na Igreja Cristo Pentecostal do Brasil, na Avenida Vieira de Brito, no Bairro São Cristóvão em Palmeira dos Índios, mas teve ser mudado, devido o Governo de Alagoas prestar as honras militares concernentes ao momento. O velório dos militares se inicia, às 22h, desta quarta-feira, 23, no Museu Palácio Floriano Peixoto, com previsão de encerramento às 9h, desta quinta-feira, 24. O corpo do soldado  será levado para Palmeira dos Índios, onde será sepultado por volta das 15h.

Ele era casado com a tenente Renata e deixa dois filhos.

Após o velório os  corpos do  major Milton e do capitão Assunção serão conduzidos para o Cemitério Memorial Parque das Flores, no Farol, onde serão sepultados, às 11h. Já o soldado Diogo Melo será sepultado no Cemitério Memorial Parque Maceió, no bairro Benedito Bentes, às 12h.

Acidente

O acidente aéreo aconteceu próximo ao Aeroclube de Maceió, no Bairro Santa Lúcia. Além do soldado Marcos de Moura Pereira morreram também o Major do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) Milton Carnaúba Gomes Paiva, o Capitão da Polícia Militar (PM) Mário Henrique de Assunção e o soldado da PM Diogo de Melo Gonzaga.

cats

Crédito PM/AL

Confira o histórico dos policiais militares

Mário Henrique de Oliveira Assunção, pernambucano, nascido em 30.12.1967, era capitão da PMAL; ingressou na corporação em 19 de fevereiro de 1993. Antes de fazer parte do Grupamento Aéreo da SSP, o militar teve passagens pela 6ª Seção do EMG, pela 1ª Seção do EMG, e pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), onde exerceu as funções de subcomandante, bem como do Comando Operacional de Apoio Aéreo da Unidade. Ele era casado e deixa filhos.

Diogo de Melo Gonzaga, alagoano, nascido em 16.03.1983, era soldado da PMAL; ingressou na corporação em 28 de junho de 2010. Antes de fazer parte do Grupamento Aéreo da SSP, o militar passou pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE). Ele era noivo.

A corporação, em luto, lamenta com profundo pesar o trágico acontecimento.

Major do Corpo do Bombeiros era casado com uma também major

O major Milton Carnaúba ingressou na corporação em 15 de março de 2002. Era apaixonado pela profissão e querido por todos com quem trabalhou. Dedicado, participou de diversos cursos de especialização, como o que o habilitou a pilotar helicópteros. Realizou em 2008 curso teórico de piloto e em 2010 e 2011 foi indicado para participar de curso prático de piloto privado de helicóptero na cidade de Itapeúna, São Paulo. No ano de 2012 foi transferido para o Grupamento de Operações Aéreas, em que, desde então, realizava o trabalho de transporte aéreo, patrulhamento e policiamento aéreo preventivo, ostensivo e repressivo. Sempre foi um militar correto que desempenhava com presteza e dedicação suas funções e nunca media esforços para ajudar o próximo.

O major Milton era casado com a major BM Camila Paiva, com quem teve dois filhos. Um pai exemplar, dedicado e que amava seus filhos, Laís, de 09 anos e Mateus, de 08 anos, acima de tudo.

Para o Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas fica a sensação de uma perda imensurável. A perda de um grande profissional que em todos os momentos estava pronto para combater o bom combate sempre que a sociedade alagoana precisava de seus serviços. A família bombeiro militar está de luto por seu filho de farda e coração e pelos policiais militares que agora descansam em paz.

Desejamos aos familiares e amigos desses nobres militares que tenham força para superar esse momento de tristeza e nós, do Corpo de Bombeiros, em nome do comando geral e de toda a corporação estamos prontos e disponíveis para tudo que precisarem.

Em Serviço

Segundo informações passadas pelo Secretário de Defesa Social Alfredo Gaspar que esteve no local do acidente, os militares foram determinantes para o sucesso da operação realizada na madrugada de hoje, quando dois suspeitos morreram em confronto com a polícia.

Os corpos das vítimas estão no Instituto Médico Legal para identificação dos restos mortais através de DNA, e serão liberados em seguida para sepultamento. As famílias das vítimas  já estão no local para fazer o reconhecimento dos corpos.

Em nota oficial o governo do Estado de Alagoas lamentou a morte dos quatros militares que foram vítimas do acidente aéreo, e decretou luto oficial por três dias. Confira na íntegra:

Nota

Em nome do Governo, do povo de Alagoas e em meu próprio nome, quero manifestar nosso profundo pesar pelo trágico acidente com o helicóptero da Polícia Militar, durante operação contra o crime que estava em curso na região de Rio Largo, na manhã desta quarta-feira, 23 de setembro.

Presto, neste momento, a homenagem de Alagoas aos quatro militares que perderam a vida no cumprimento do dever. São heróis do povo alagoano, imolados na dura missão de combater o crime. Seus nomes jamais serão esquecidos pelos companheiros da corporação e por todos que anseiam e trabalham por paz e justiça em Alagoas.

Acompanharemos atentamente, e transparentemente, as investigações realizadas pela ANAC, a fim de identificar as causas do acidente.

Acabo de decretar luto oficial de três dias no estado, pelas mortes do Major BM Milton Carnaúba Gomes Paiva, do Capitão PM Mário Henrique de Assumpção e dos Soldados PM Marcos de Moura Pereira e Diogo de Melo Gonzaga.

Que Deus os receba e conforte suas famílias neste momento de dor e saudade.


Deixe um comentario