Sem presidente, ASA continua com futuro indefinido para temporada 2019

Sem presidente, ASA continua com futuro indefinido para temporada 2019

A cúpula de conselheiros do ASA se reuniu na noite dessa terça-feira (05), em Arapiraca, para discutir os rumos que o Alvinegro deve trilhar em 2019. Na reunião, houve a eleição da presidência do Conselho Deliberativo, que aclamou, por unanimidade de votos, Ivens Barbosa e Higor Rafaell, como presidente e vice, respectivamente. No entanto, o cargo de Presidente Executivo continua em aberto.
Na oportunidade, estava programada ter aclamação do conselho e direção executiva, porém não foi possível porque não houve consenso entre os cartolas. Segundo Ivens, o nome do novo presidente deve sair nos próximos oito dias.

“As conversas continuarão dentro do conselho, com o objetivo de levantar o nome do presidenciável. Enquanto isso não acontece, estaremos trabalhado para dar continuidade no projeto para a próxima temporada”, falou Barbosa.

De acordo com presidente do Conselho Deliberativo, três nomes estão cotados para assumir o cargo: Josenildo de Souza, Moisés Machado e Celso Marcos. Os dois últimos, inclusive, já foram presidentes do ASA em anos anteriores.

Em entrevista à Gazetaweb, Moisés Machado, um dos cotados a assumir o mais alto cargo do Gigante, não confirmou e desconversou sobre essa possibilidade.
“Continuo sendo conselheiro do clube, estou para ajudar em qualquer situação. Mas, no momento, não tenho interesse em assumir a presidência do ASA. A quem assumir, estarei dentro do conselho para ajudar”, relatou Machado.
Para que passos possam ser dados para tocar a pré-temporada 2019, Moisés alerta que o nome precisa sair o quanto antes. “Temos até o fim de novembro para ter um time pronto com comissão técnica e jogadores. Se isso não tiver acontecido, vai dificultar a preparação para a temporada. Mas, acredito, que até o começo de dezembro teremos tudo acertado e um time pronto”.
O ASA detém de vários processos trabalhistas transitando na Justiça do Trabalho. Estima-se que, apenas em Alagoas, o novo presidente alvinegro assuma a missão se sanar uma dívida de cerca de R$ 2 milhões.

Em 2018, a vida do ASA foi conturbada e cheia de oscilações. Caiu para o CSA na semifinal do Campeonato Alagoano, não conseguindo assegurar vaga para a Copa do Nordeste da próxima temporada. Na Série D do Campeonato Brasileiro, amargou a última posição do Grupo A7 com apenas quatro pontos conquistados.


Deixe um comentario