Outono começa hoje com incidência de quadro chuvoso até agosto em Alagoas

Outono começa hoje com incidência de quadro chuvoso até agosto em Alagoas

Apesar de não ser uma época tão marcante no Brasil, a chegada do outono na noite desta quarta-feira (20), às 18h58, trará, até o dia 21 de junho, a perspectiva do aumento na incidência de chuvas em Alagoas, diminuição dos ventos e quedas consideráveis de temperatura.
De acordo com o meteorologista da Secretaria do Estado do Meio Ambiente e Recursos hídricos de Alagoas (Semarh), Vinícius Nunes, a previsão é que o quadro chuvoso se inicie na segunda quinzena de abril.

“A incidência de chuvas se estenderá até meados do inverno, em agosto. Só a partir da segunda quinzena, é que mudanças como a diminuição de temperaturas serão mais perceptíveis. Isso, apenas gradualmente”, ressalta.
Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o fenômeno “El Ninõ” também está previsto para ocorrer nesta estação e atingir em intensidade fraca 70% das regiões do país. O meteorologista esclarece que o episódio climático terá pouca influência em Alagoas.
“A característica principal do El Niño é a diminuição do transporte de umidade da precipitação da região. Mas como ele é um fenômeno fraco aqui, essa diminuição não vai ser muito sentida, além disso, as condições do Oceano Atlântico próximo a costa do Nordeste estão mais aquecidas e favorecem a ocorrência de chuvas”, explica.
Áreas de risco
A mudança no clima será percebida em todo o estado, mas regiões como as da metade leste do estado, Litoral, Zona da Mata e Baixo São Francisco, serão as mais afetadas. Vinícius informa que, é papel da Sala de Alerta da Semarh monitorar os desastres naturais em Alagoas. Entre eles, a questão do bairro do Pinheiro em relação ao aumento da ocorrência de chuvas.
“Foi definido que o gatilho para o acionamento de evacuação do Pinheiro se dará pelas fortes chuvas. Então, a responsabilidade é grande, já que nossos avisos e alertas serão essenciais nesse plano. No momento, temos contato direto e diário com a Defesa Civil Estadual e a de Maceió”, salienta.
Ele ainda chama atenção para as outras diversas áreas vulneráveis que Alagoas apresenta além do Pinheiro. Rios com histórico de inundações, regiões com risco de deslizamentos também serão monitoradas pela Sala de Alerta.


Deixe um comentario