Ministro japonês vê incerteza, mas diz que Olimpíadas podem acontecer de “qualquer jeito”

Ministro japonês vê incerteza, mas diz que Olimpíadas podem acontecer de “qualquer jeito”

O ressurgimento global do COVID-19, incluindo níveis recordes de infecção no Japão, levantou novas dúvidas sobre os Jogos, que foram adiados por um ano em 2020. Na quarta-feira, o governo japonês ampliou o estado de emergência bem além da região de Tóquio. Novas infecções por coronavírus na capital ultrapassaram 1.500 na quinta-feira, de acordo com a emissora pública NHK.

O apoio da população também diminuiu. Em uma pesquisa realizada nesta semana, 77% dos entrevistados disseram que as Olimpíadas deveriam ser canceladas ou adiadas. O primeiro-ministro Yoshihide Suga, porém, se mantém firme na realização dos Jogos.

Suga afirmou não ter ouvido nada sugerindo que os Jogos não iriam adiante e que o planejamento estava “indo a todo vapor”.

Ainda que as Olimpíadas comecem no dia 23 de julho, como planejado, os organizadores podem ter que limitar o número de espectadores como forma de proteção contra o coronavírus. O Japão também teria que aliviar os rígidos controles de imigração que impedem a maioria dos estrangeiros de entrar no país. Yoshiro Mori, presidente do Comitê Organizador de Tóquio 2020, disse este mês que uma decisão sobre a presença de público deverá ser tomada em fevereiro ou março.


Deixe um comentario