Equatorial abusa e tenta fazer corte irregular em Palmeira dos Índios

Equatorial abusa e tenta fazer corte irregular em Palmeira dos Índios

Os consumidores de energia de Alagoas tem feito inúmeras reclamações relativos a abusos da Equatorial. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra dois funcionários da rede de energia, tentando cortar o fornecimento de um cliente com talão pago e tenta intimidar o consumidor em Palmeira dos Índios.

De acordo com o consumidor, os funcionários violaram o lacre do contador.

A Equatorial Energia assumiu no dia 18 de março de 2019, a concessão para distribuir energia elétrica no Estado de Alagoas, operando a Companhia Energética de Alagoas (Ceal), que passou a se chamar Equatorial Energia Alagoas. A empresa foi a vencedora do leilão realizado no dia 28 de dezembro de 2018 e obteve todas as autorizações necessárias para iniciar as atividades no Estado.

Desde então, a Equatorial Energia tem se destacado de modo negativo no estado, principalmente no quesito prestação de serviços e queixas dos consumidores.

De acordo com o documento, no último dia 5 de fevereiro de 2020, a sociedade alagoana foi surpreendida com o fato de Equatorial Energia Alagoas ter solicitado revisão tarifária à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Caso a medida seja aprovada, a conta de energia pode ficar 12,02% mais cara, para o consumidor, e 13,74% para indústrias. Os índices definitivos serão aprovados após a consulta pública para entrar em vigor já em 3 de maio de 2020.

“Apagões” freqüentes, cobranças abusivas, cortes indevidos no fornecimento de energia e até descaso e truculência de funcionários da empresa são diariamente noticiados pela imprensa, por cidadãos comuns, nas redes sociais como esse caso em Palmeira dos Índios.

Quem tem a luz cortada injustamente experimenta, sem dúvida, dano moral. O STJ reconhece que o corte do fornecimento de energia elétrica fere a dignidade da pessoa humana. Não obstante isso, o corte é admitido em hipóteses excepcionais, para garantir a estabilidade do sistema, porque configura forma indireta de compelir os devedores a pagar.

Na última segunda-feira (10), o Deputado Federal, Marx Beltrão, enviou um ofício ao Ministério Público Estadual (MPE/AL), solicitando a apuração de possíveis irregularidades no fornecimento de energia realizado pela empresa Equatorial Energia, no Estado.


Deixe um comentario