Em desespero, produtores ameaçam parar programa do leite em Alagoas

Em desespero, produtores ameaçam parar programa do leite em Alagoas

Considerado o melhor do Brasil pelo Ministério do Desenvolvimento Social, o programa do leite de Alagoas está na iminência de ser suspenso no Estado. A decisão será tomada no início da próxima semana por cooperativas e associações que representam mais de dois mil agricultores familiares que estão sem receber o pagamento desde setembro de 2018.
“A situação é insustentável”, desabafa Tiago Silva de Melo, presidente da Coopaz, cooperativa que tem cerca de 250 produtores de leite e tem atuação na bacia leiteira de Alagoas, principalmente nos municípios de Jacaré dos Homens e Palestina.

“A maioria dos produtores só continuou fazendo a entrega do leite para o governo porque não tem opção. A crise é geral. No programa, o pequeno recebe R$ 1,28. Se for entregar fora vai receber de 80 ou 90 centavos”, declara.

A Coopaz fornece diariamente 5,2 mil litros de leite para o programa. Segundo Tiago Silva, os pagamentos não são feitos desde setembro do ano passado. “O atrasado só com os agricultores da Coopaz já passa de R$ 1 milhão”, diz Tiago Silva.
O programa do leite em Alagoas é mantido por convênio entre o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura e o Governo Federal, através do Ministério de Desenvolvimento Social.
Atualmente, garante a distribuição de mais de 40 mil litros de leite por dia para 80 mil famílias (a distribuição é feita na base de 4 litros por semana por beneficiário) em todos os 102 municípios de Alagoas.
A organização dos agricultores familiares que fornecem o leite para o programa é feita por cinco cooperativas. Além da Coopaz, Pindorama, CPLA, Cafisa e Aagra.

Segundo informações da Secretaria Agricultura de Alagoas, os pagamentos não são realizados desde outubro. A Seagri não revelou o montante do débito e informa que a situação será regularizada após a liberação de recursos pelo ministro do Ministério do Desenvolvimento Social.
De acordo com diretores de cooperativas, o valor devido aos agricultores familiares passaria dos R$ 10 milhões.
Nessa quinta-feira (14), Tiago Silva participou, ao lado de outras lideranças do setor, de reunião com o coordenador da bancada federal de Alagoas, deputado Marx Beltrão (PSD).
“Estamos fazendo uma apelo ao governador Renan Filho e aos nossos representantes para que encontrem uma solução urgente. A situação é de desespero na bacia leiteira. Tem produtor jogando leite fora e sem dinheiro para fazer a sua feira”, enfatiza o presidente da Coopaz.
A assessoria informou que o secretário Henrique Soares, da Agricultura, está em viagem fora do Estado. A pasta deve discutir a crise da cadeia produtiva do leite na próxima terça-feira (19), a partir das 10h, em reunião da Câmara Setorial do Leite.


Deixe um comentario