Sul-Americana: com golaços, Athletico-PR vence e fica perto da final

Sul-Americana: com golaços, Athletico-PR vence e fica perto da final

 

 

O Athletico-PR deu um importante passo rumo à final da Copa Sul-Americana após derrotar o Peñarol (Uruguai) por 2 a 1, na noite desta quinta-feira (23) no estádio Campeón del Siglo, em Montevidéu, no primeiro jogo das semifinais da competição.

As equipes definem quem segue para a grande decisão da competição na próxima quinta-feira (30), em partida disputada na Arena da Baixada a partir das 21h30 (horário do Brasília).

O Furacão começou a partida com tudo, e abriu o placar no segundo minuto do confronto com um golaço. Após Marcinho roubar a bola no campo do adversário, Nikão cruzou, Bissoli desviou e Terans fez de bicicleta. Foi a lei do ex entrando em campo.

Porém, ainda no primeiro tempo, aos 21 minutos, a equipe uruguaia conseguiu igualar com Álvarez Martínez.

Mas a noite era mesmo do Athletico-PR, que, graças a outro belo gol, garantiu a vitória final. Na etapa final, aos 29 minutos, Pedro Rocha aproveitou uma sobra de bola para bater da entrada da área e vencer o goleiro Dawson. Vitória importante do Furacão na busca da vaga para a final da Sul-Americana.

Fonte: Globo Esporte.


Na volta da torcida, CSA se impõe no Rei Pelé e vence o Botafogo

Na volta da torcida, CSA se impõe no Rei Pelé e vence o Botafogo

 

 

O Botafogo amargou a primeira derrota no returno da Série B. O clube carioca vinha de sete jogos de invencibilidade, sendo cinco vitórias seguidas, mas vacilou. O CSA aproveitou um presente para abrir o placar e venceu o Botafogo por 2 a 0, nesta quinta-feira, no Rei Pelé, em Maceió, pela 25ª rodada.

Com a derrota, o Botafogo perde a possibilidade de assumir a vice-liderança da Série B e de encostar no líder Coritiba. Para piorar, viu a vantagem sobre o quinto colocado diminuir para três pontos. Entretanto, pelo que vinha apresentando, pode ter sido um “acidente de percurso”. O clube carioca emendou uma sequência de jogos consistentes e se consolidou no G-4 como um forte candidato ao acesso.

O Botafogo continua na terceira colocação da Série B, com 44 pontos – se tivesse pelo menos empatado passaria a ser vice-líder. O CSA, por sua vez, ganha fôlego na corrida pelo G-4: subiu para o oitavo lugar, com 35 pontos – está a nove pontos do quarto colocado.

Na próxima rodada da Série B, o Botafogo recebe o Sampaio Corrêa, neste domingo, às 18h15 (de Brasília), no Nilton Santos. Já o CSA visita o Cruzeiro, domingo, às 16h (de Brasília), no Independência.

O Botafogo decepcionou. O primeiro tempo foi fraco ofensivamente. Quando havia melhorado, na etapa final, sofreu o primeiro gol, em erro de Diego Loureiro. O time carioca não conseguiu reagir.

CSA supera o Botafogo

O CSA foi superior no primeiro tempo e tomou a iniciativa desde o começo. Aos três minutos, Dellatorre recebeu na área, girou e chutou à esquerda, com perigo. Dez minutos depois, Iury Castilho recebeu pela esquerda e tentou surpreender Diego Loureiro, mas o goleiro estava atento e espalmou a finalização.

Com mais posse de bola, o CSA buscava pressionar o Botafogo. Entretanto, viu o clube carioca se defender bem. O Fogão, ofensivamente, não foi bem, tanto que só levou perigo aos 42 minutos. Rafael Navarro cruzou da direita e Diego Gonçalves ganhou pelo alto e cabeceou. Thiago Rodrigues fez grande defesa. A primeira etapa, então, terminou sem gols e sem muita emoção.

O cartão de visitas do Botafogo no segundo tempo quase foi um belo gol. Nos primeiros segundos, Navarro deu toque de calcanhar e acionou Warley. Ele cruzou para Chay. O meia chutou rasteiro e viu Thiago Rodrigues defender. O clube, quando finalmente estava melhor no jogo, levou o gol. Aos nove minutos, Diego Loureiro errou na saída de bola e deu um presente para Marco Túlio. Ele tentou por cobertura. O goleiro do Fogão ainda chegou na bola, mas tentou encaixar e não conseguiu: 1 a 0.

O Botafogo tentou partir para cima. Warley chutou cruzado e parou em Thiago Rodrigues. Na sequência, o atacante emendou para fora. O técnico Enderson Moreira, então, fez logo três mudanças. Ele colocou Jonathan Silva, Luiz Henrique e Ricardinho. Saíram Carlinhos, Barreto e Warley. Nem deu tempo de surtiu efeito. No minuto seguinte, Iury Castilho completou cruzamento da pequena área e fez 2 a 0.

O clube carioca não conseguiu reagir e viu a sequência de invencibilidade ser interrompida na Série B.

 

Fonte: Todo Segundo.


Libertadores: Bruno Henrique brilha e Flamengo encaminha vaga à final

Libertadores: Bruno Henrique brilha e Flamengo encaminha vaga à final

 

 

O Flamengo deu um passo importante à final da Libertadores. Nesta quarta-feira (22), o Rubro-Negro recebeu o Barcelona de Guayaquil (Equador) no Maracanã, no Rio de Janeiro, por 2 a 0, no jogo de ida do confronto pelas semifinais da competição.

O resultado dá ao time carioca a vantagem de avançar de fase mesmo se perder por um gol de diferença na partida de volta, na próxima quarta-feira (29), no Monumental de Barcelona, em Guayaquil (Equador). Se balançar as redes fora de casa, o clube brasileiro pode se classificar até se for derrotado por dois gols de saldo. O vencedor do confronto pega quem passar entre Palmeiras e Atlético-MG, que empataram por 1 a 1 no duelo de ida, no Allianz Parque, em São Paulo.

A partida marcou a estreia de David Luiz pelo Flamengo. O zagueiro de 34 anos, recém-contratado pelo clube, não entrava em campo há 143 dias. A última partida dele havia sido em 2 de maio, quando ainda defendia o Arsenal, na vitória por 2 a 0 sobre o Newcastle United, pelo Campeonato Inglês.

Apesar do torcedor rubro-negro ter podido acompanhar, in loco, a vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio, há uma semana, pelas quartas de final da Copa do Brasil, o duelo desta quarta-feira marcou, para valer, o reencontro dos flamenguistas com o time no Maracanã. Se na última quarta-feira (15), em meio às incertezas sobre a liberação ou não de público, somente 6.446 espectadores compareceram ao estádio, desta vez foram 23.083 torcedores presentes nas arquibancadas (22.193 pagantes). A renda foi de R$ 4,063 milhões.

O público, no entanto, sofreu nos primeiros instantes de bola rolando. Não fosse Diego Alves, os equatorianos teriam inaugurado o placar aos seis minutos. Primeiro, o goleiro defendeu uma tentativa do atacante Gonzalo Mastriani, dentro da área. O meia Adonis Preciado aproveitou a sobra, mas parou novamente no camisa 1, que brilhou novamente aos dez minutos, salvando uma finalização cruzada do lateral Byron Castillo, pela direita.

Os sustos acordaram o Flamengo, que ficou no quase aos 15 minutos, em chute da entrada da área do meia Everton Ribeiro, que o goleiro Javier Burrai defendeu, mesmo após a bola desviar na marcação. Cinco minutos depois o Rubro-Negro balançou as redes. Gabriel cruzou pela direita e o também atacante Bruno Henrique, de cabeça, abriu o placar. A parceria quase funcionou de novo aos 33, desta vez com Gabriel aparecendo pela esquerda e Bruno Henrique cabeceando no travessão.

Três minutos depois, o poste superior salvou novamente o Barcelona, em arremate do meia Andreas Pereira, da intermediária. No lance seguinte, o Flamengo chegou ao segundo gol, outra vez com Bruno Henrique. Em jogada que também envolveu Everton Ribeiro e Gabriel, o camisa 27 recebeu cruzamento pela direita do atacante Vitinho e concluiu para as redes. Nos acréscimos, para melhorar a situação do Rubro-Negro, o meia Nixon Molina levou o segundo amarelo após falta em Bruno Henrique e foi expulso.

Mesmo com um a menos, os equatorianos tentaram surpreender no início do segundo tempo. No primeiro minuto, após cobrança de escanteio, o volante Michael Carcelén teve a chance na área, mas Diego Alves fez outra grande intervenção. Na sequência, o lateral Mauricio Isla cruzou pela direita, Vitinho cabeceou e obrigou Burrai a salvar com os pés, no reflexo.

O Flamengo diminuiu o ritmo ao longo da etapa complementar, mas manteve o jogo sob controle. Nos minutos finais, Léo Pereira, que substituiu David Luiz, recebeu o cartão vermelho direto ao atingir o queixo do também zagueiro Fernando León. A expulsão deixou as duas equipes com dez em campo e animou o Barcelona, que tentou pressionar nos acréscimos, sem êxito.

Antes de reencontrar o Barcelona, o Flamengo tem compromisso pelo Campeonato Brasileiro. No próximo domingo (26), às 11h (horário de Brasília), o Rubro-Negro encara o América-MG no Independência, em Belo Horizonte, pela 22ª rodada da competição. Atual bicampeão, o time carioca está na terceira posição do torneio nacional, mas com três jogos a menos que a maioria das equipes.

Fonte: Globo Esporte.

Red Bull Bragantino vence e abre boa vantagem sobre o Libertad pela semifinal da Sul-Americana

Red Bull Bragantino vence e abre boa vantagem sobre o Libertad pela semifinal da Sul-Americana

 

 

Marcando o retorno da torcida nas arquibancadas, porém em número reduzido por conta da pandemia de Covid-19, o Red Bull Bragantino não decepcionou quem marcou presença no estádio Nabi Abi Chedid, no duelo de ida, diante do Libertard, pela Sul-Americana, nesta quarta-feira. Mesmo não tendo vida fácil em campo, o Massa Bruta fez valer sua força e, marcando seus tentos com Ytalo e Artur, fechou a conta em 2 a 0.

Com o resultado, a equipe de Maurício Barbieri poderá agora perder por até um gol de diferença, ou até jogar por qualquer empate, que ainda assim avançará para a grande final do torneio. A partida de volta está marcada para próxima quarta-feira, no estádio Defensores Del Chaco.

LIBERTAD OFERECE PERIGO NO INÍCIO

Mesmo jogando em casa, o Red Bull Bragantino não conseguiu imprimir um ritmo forte nos primeiros movimentos. Apesar de ficar mais com a posse de bola, pouco tinha espaços para criar jogadas ofensivas, arriscando chutes de longe e sem direção.

Por outro lado, a equipe paraguaia manteve a calma e, aos poucos, passou a dar mais trabalho ao sistema defensivo rival. Sendo assim, em duas chances criadas, Ferreira e Diego Viera mostraram que os visitantes estavam dispostos a levar uma boa vantagem para o duelo de volta, porém acabaram errando suas finalizações.

MASSA BRUTA ABRE A CONTAGEM

Com o panorama em campo mantendo-se da mesma forma com o passar do tempo, a equipe de Maurício Barbieri insistia em furar a forte defesa adversária, que pouco errava até então. Entretanto, aos 29 minutos, após cobrança de escanteio, Artur conseguiu fazer uma bonita jogada individual e mandar a bola na área, fazendo com que Ytalo, na segunda trave, de cabeça mandasse para o fundo das redes, fazendo o primeiro no Nabi Abi Chedid.

ARTUR AMPLIA DE PÊNALTI

Com a bola rolando na segunda etapa, logo aos 3 minutos a equipe local teve um pênalti marcado, após o chute de Artur pegar no braço de Vangioni. Na cobrança, o camisa 7, tentando tirar as chances do goleiro acertar o canto, mandou no alto, com a bola acertando o travessão e entrando no gol em seguida. Red Bull 2 a 0.

Abrindo vantagem no marcador, o Massa Bruta então recuou um pouco. Com isso, fez com que o time de Daniel Garnero fosse para frente na tentativa de descontar. Sem êxito nas chegadas ao seu campo de ataque, ainda viu o rival, aos poucos, mudar sua postura apostando em uma marcação alta, dificultando sua saída até meados dos 25 minutos.

PARAGUAIOS VÃO PARA O TUDO OU NADA; VAR ANULA O 3º

Recuando para seus suplentes, o técnico do time de Assunção então optou por dar um gás novo para seu ataque. Entretanto, mesmo colocando Óscar Cardozo e Bogarín nos lugares de Sebástian Ferreira e Gastón Martínez, respectivamente, praticamente não ofereceu perigo ao gol de Cleiton, que mantinha-se tranquilo atrás.

Percebendo as mudanças no esquema tático rival, Maurício Barbieri também promoveu algumas alterações. Nas trocas, Lucas Evangelista e Helinho foram os escolhidos para os lugares de Ytalo e Cuello, respectivamente, conseguindo pressionar mais o Libertad, chegando a marcar mais um no jogo, com Luan Cândido, mas que acabou sendo anulado pelo VAR, já que a bola acabou tocando no árbitro no início da jogada, sendo esse o último lance antes do término.

FICHA TÉCNICA

RED BULL BRAGANTINO 2×0 LIBERTAD

Data e horário: 22/09/2021, às 19h15 (de Brasília)

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)

Árbitro: Facundo Tello (ARG)

Assistentes: Ezequiel Brailovsky (ARG) e Maximiliano Del Yesso (ARG)

VAR: Julio Bascuñan (CHI)

Cartões Amarelos: Barboza, 36’/1ºT; Ytalo, 11’/2ºT; Espinoza, 26’/2ºT

Gols: Ytalo, 29’/1ºT (1-0); Artur, 4’/2ºT (2-0)

RED BULL BRAGANTINO: Cleiton; Aderlan, Fabrício Bruno, Léo Ortiz e Edimar; Jadsom Silva, Eric Ramires e Praxedes (Gabriel Novaes, aos 14’/2ºT); Artur (Luan Cândido, aos 44’/2ºT), Ytalo (Lucas Evangelista, aos 34’/2ºT) e Cuello (Helinho, aos 33’/2ºT).

(Técnico: Maurício Barbieri)

LIBERTAD: Martín SIlva; Bocanegra, Diego Viera, Barboza e Vangioni (Enciso, aos 45’/2ºT); Ramón Martínez (Bogarín, aos 30’/2ºT), Hugo Martínez, Mayada, Villalba (Franco, aos 33’/2ºT) e Espinoza; Sebástian Ferreira (Óscar Cardozo, aos 29’/2ºT).

(Técnico: Daniel Garnero)
Fonte: Globo Esporte.

Seleção Brasileira de futebol feminino massacra Argentina por 4 a 1 em amistoso na Paraíba

Seleção Brasileira de futebol feminino massacra Argentina por 4 a 1 em amistoso na Paraíba

 

 

Nesta segunda-feira (20) a Seleção Brasileira de futebol feminino enfrentou a seleção Argentina, com as brasileiras levando a melhor, com a vitória por 4 a 1. A partida amistosa, válida como aquecimento para a Copa América do ano que vem (2022), rolou no Estádio Almeidão, na Paraíba, e as heroínas brasileiras que marcaram no embate de hoje foram Kerolin, Marta, Debinha e Yasmin. A hermana Larroquette diminuiu a diferença para as visitantes.

O primeiro confronto entre as equipes ocorreu na última sexta-feira e acabou com a vitória canarinho por 3 a 1.

Este jogo disputado em solo paraibano foi o último da Seleção Brasileira sob o comando de Pia Sundhage, durante a Data Fifa de setembro.

Os Gols da partida

As brasileiras começaram o show abrindo o placar aos 19 minutos do primeiro tempo, com Kerolin, que marcou o primeiro gol dela pela Seleção. Com 21 anos, a atacante aproveitou a cobrança de escanteio de Nycole e só matou a redonda com um tapinha para o fundo da rede.

Marta, para não perder o costume, emplacou o segundo do Brasil aos 36’. A Rainha marcou um golaço de falta da entrada da área, acertando a coruja no canto esquerdo da goleira hermana.

Aos dois da etapa complementar, Debinha subiu e lançou de cabeça para marcar o terceiro da Seleção Tupiniquim. Três minutos depois, Larroquette aproveitou falha da zaga brasileira e diminuiu para 3 a 1.

Em seguida, aos 6’, o Brasil confirmou a superioridade em campo e balançou as redes mais uma vez, deixando qualquer possibilidade de uma virada Argentina impossível. Marta tocou para Yasmin, que lançou um foguete rasteiro da esquerda e fez o primeiro dela com a camisa verde e amarela e marcando seu nome na história da Seleção.

Fonte: Globo Esporte.


CRB ressurge nos minutos finais e consegue empate de 1 a 1 contra o Vasco

CRB ressurge nos minutos finais e consegue empate de 1 a 1 contra o Vasco

 

 

A noite desta quinta-feira (16) foi cheia de emoções para o CRB. Jogando no Rei Pelé, em partida válida pela 24ª rodada da competição nacional, o Galo acabou sofrendo em uma dura partida contra o Vasco, porém encontrou o 1 a 1 na reta final. O time carioca vencia até os acréscimos do segundo tempo, quando sofreu o empate. O tento vascaíno foi marcado pelo argentino Germán Cano, enquanto Renan Bressan fez o do Regatas.

O resultado não mudou a posição regatiana no G4. O time ainda é o quarto colocado, com 41 pontos, entretanto garantiu mais uma rodada dentro do grupo dos quatro melhores. Já o Vasco decepcionou e se manteve na 10ª colocação, com 33 pontos, podendo ser ultrapassado pelo Remo, que ainda joga na rodada. Clique aqui para ver como foi a partida no Tempo Real da Gazetaweb!

Na próxima rodada, o Vasco terá páreo duro jogando em São Januário. O clube terá um clássico nacional contra o Cruzeiro, domingo (19), às 16h. O jogo tem a possibilidade de receber público, mas o assunto ainda será debatido. Já o Galo terá um adversário que tem outras intenções: o Brasil de Pelotas. O Regatas viaja para o interior gaúcho. A partida está programada para terça (21), às 19h.

1º Tempo

Os minutos iniciais foram de muito estudo, principalmente do lado regatiano, que pouco tocou na bola. O Vasco tentou implantar logo de cara o estilo de jogo ofensivo e de posse de bola do técnico Fernando Diniz. A primeira chance, porém, veio na bola parada. O estreante Nenê arriscou de muito longe, aos nove minutos, mas Diogo Silva segurou firme. A resposta regatiana foi com muito mais perigo. Nicolas Careca recebeu lindo lançamento, ficou cara a cara com Vanderlei, mas o arqueiro vascaíno fez a parede e salvou.

Primeiro tempo teve poucas chances criadas, principalmente do lado vermelho – Foto: Ailton Cruz

Aos 15 minutos, um pesadelo comum assombrou o clube carioca: gol na bola aérea. Caetano conseguiu estufar as redes após bola cruzada por Diego Torres, mas, após a análise do VAR, o gol foi anulado por impedimento, sendo um alívio para o Vasco. Mesmo com as poucas chances criadas pelas equipes, o Gigante da Colina apareceu aos 26 com um bombardeio. Foram três tentativas de finalização, até o argentino Germán Cano chutar em cima de Diogo Silva, que agarrou firme.

Os cariocas começaram a crescer na reta final do primeiro tempo. Com um massacre nas finalizações, Andrey mandou um chute de média distância, fazendo Diogo Silva espalmar nos pés de Cano, porém, desequilibrado, o atacante perdeu o lance, com 31 minutos. Pouco depois, aos 35, o Vasco teve uma falta perigosa no lado esquerdo. Nenê e Andrey fazem jogada ensaiada, contudo, o volante finalizou pra fora, com muito perigo.

O jogo ficou em uma sintonia muito homogênea no final do primeiro tempo, seguindo sem grandes oportunidades, mas com o Cruz-Maltino tentando ser mais insinuante. Diego Torres até teve suas tentativas na bola parada, porém pouco aproveitou.

O Vasco conseguiu surpreender no minuto final. Sendo vítima de jogadas aéreas, o clube carioca usou dessa arma para tirar o zero do placar. Em escanteio aos 48 minutos, Ricardo Graça deu um desvio e o artilheiro Germán Cano mandou bonito para o gol regatiano. O gol vascaíno foi o ato final do primeiro tempo: 1 a 0.

2º tempo

Allan Aal fugiu das suas características e veio do intervalo com duas mudanças: Celsinho e Jean Patrick entraram. O time tentou aparecer mais no campo ofensivo e isso aconteceu aos 4′, quando Nicolas Careca recebeu um passe dentro da área, porém não dominou bem. Com 6 minutos, o Galo veio pelo alto, com Ewerton Páscoa, todavia, Vanderlei espalmou e livrou o perigo. Os primeiros minutos da etapa final foram dos clubes tentando controlar a posse.

Segundo tempo seguiu com poucos sustos para os goleiros – Foto: Ailton Cruz

Aos 21 minutos, Allan Aal já tinha feito suas cinco alterações, já no desespero de buscar o gol de empate. Pablo Dyego teve uma chance de finalização aos 24 minutos, mas mandou pra fora. Fernando Diniz respondeu às alterações de Aal colocando Bruno Gomes, fechando mais o meio de campo. Apesar disso, o Regatas seguiu em cima, principalmente utilizando as bolas aéreas, o principal defeito vascaíno.

Diniz abriu mão de suas características para tentar garantir os três pontos essenciais na briga pelo acesso. Jogando no contra-ataque, o Vasco quase ampliou aos 36 minutos. Andrey lançou Gabriel Pec livre, dentro da área, porém o camisa 11 chutou cruzado, sem muita força, permitindo a defesa de Diogo Silva. Na resposta, Brandão falhou em um lance dentro da área, que não assustou os cariocas.

O Vasco apareceu na bola aérea. Marquinhos Gabriel tentou bola alta aos 41 minutos, mas a defesa regatiana tirou o perigo. Os minutos finais foram tensos, mas a estrela regatiana brilhou. Renan Bressan entrou pelo lado esquerdo da área vascaína e bateu no canto de Vanderlei, que não alcançou: 1 a 1 no apagar das luzes. Recuado, o time carioca não partiu pra cima e, apesar de um bom momento no jogo, o Galo não conseguiu a virada. Final: 1 a 1 com gosto de vitória para os alagoanos.

Renan Bressan foi o herói regatiano na partida – Foto: Ailton Cruz

Ficha Técnica

CRB – Diogo Silva; Reginaldo (Celsinho), Ewerton Páscoa, Caetano e Guilherme Romão; Marthã, Wesley (Jean Patrick) e Diego Torres (Renan Bressan); Pablo Dyego, Jajá (Alisson Farias) e Nicolas Careca (Júnior Brandão). Técnico: Allan Aal

Vasco – Vanderlei; Léo Matos, Ricardo Graça, Leandro Castán e Zeca; Andrey (Caio Lopes), Marquinhos Gabriel e Nenê (Figueiredo); Morato (Gabriel Pec), Léo Jabá (Bruno Gomes) e Germán Cano. Técnico: Fernando Diniz

Cartões Amarelos – Andrey (Vasco); Reginaldo (CRB); Ewerton Páscoa (CRB); Guilherme Romão (CRB); Júnior Brandão (CRB)

Árbitro – Luiz Flavio de Oliveira (FIFA)

Assistentes – Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (CBF) e Fabrini Bevilaqua Costa (FIFA)

VAR – Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (FIFA)

Assistente de vídeo – Daniel Luis Marques (CBF-SP)

Fonte: Globo Esporte.


Com Neymar decisivo, Brasil vence Peru e retoma embalo nas Eliminatórias Sul-Americanas

Com Neymar decisivo, Brasil vence Peru e retoma embalo nas Eliminatórias Sul-Americanas

 

 

Após ver o jogo contra a Argentina suspenso, o Brasil retomou o embalo nas Eliminatórias Sul-Americanas na noite desta quinta-feira. Na Arena Pernambuco, com Neymar decisivo, o time comandado por Tite dominou a seleção peruana e venceu por 2 a 0.

Com 24 pontos, seis a mais que a Argentina, a Seleção Brasileira lidera o torneio classificatório à Copa do Mundo de 2022 – a Fifa ainda não tomou uma decisão sobre a partida suspensa na última rodada. Já o Peru permanece com oito pontos e figura no sétimo posto.

Pela 11ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas, a Seleção Brasileira volta a campo para visitar a Venezuela, última colocada da tabela. Já o Peru recebe o Chile, concorrente direto na classificação. As duas partidas estão marcadas para o dia 7 de outubro.

O jogo

A Seleção Brasileira conseguiu inaugurar o marcador logo aos 13 minutos do primeiro tempo. Em jogada pela esquerda, Neymar desarmou Santamaria, conduziu para dentro da área e cruzou. Éverton Ribeiro completou para o gol e os peruanos, inconformados, pediram falta na origem do lance.

Atuando de maneira consistente na Arena Pernambuco, a equipe comandada por Tite não correu maiores riscos na defesa durante o primeiro tempo, e o goleiro Weverton pouco trabalhou. O Brasil, eficiente na marcação, continuou dando trabalho à defesa peruana.

Aos 39 minutos da etapa inicial, Gabriel recebeu de Danilo pela direita e cruzou. Na sobra, Éverton Ribeiro completou para a meta peruana. Santamaria não conseguiu afastar o perigo e apenas desviou, o que permitiu a Neymar tocar a bola para o gol vazio.

Após um primeiro tempo de ampla superioridade, o Brasil quase marcou o terceiro logo no começo da etapa complementar. Em jogada pela esquerda, Gerson desarmou Tapia dentro da área e rolou para Gabriel. Livre, o centroavante do Flamengo bateu para fora.

Apesar da chance criada ainda antes do primeiro minuto, a Seleção não manteve o ímpeto ofensivo na etapa complementar. Em uma rara chegada do time peruano, Lopez recebeu pela esquerda e chutou forte para o goleiro Weverton espalmar pela linha de fundo.

Com a vitória praticamente assegurada, o técnico Tite aproveitou para observar atletas como Edenilson e Hulk, além dos jovens Bruno Guimarães e Matheus Cunha. Logo depois de entrar, o atacante do Atlético-MG recebeu lançamento de Lucas Paquetá pela esquerda e iludiu Gallese com o peito, mas tocou para fora.

Fonte: Globo Esporte.


Presidente em exercício da CBF detona Anvisa por situação em Brasil e Argentina: ‘Podia evitar isso antes’

Presidente em exercício da CBF detona Anvisa por situação em Brasil e Argentina: ‘Podia evitar isso antes’

 

 

O presidente em exercício da CBF, Ednaldo Rodrigues, direcionou suas críticas ao procedimento da Anvisa na interrupção do jogo entre Brasil e Argentina. Quatro atletas argentinos violaram leis sanitárias (Emiliano Martínez, Cristian Romero, Giovani Lo Celso e Emiliano Buendía). A Conmebol posteriormente suspendeu a partida e a decisão sobre a situação do jogo pelas pelas Eliminatórias da Copa do Mundo ficará nas mãos da Fifa. Em entrevista ao SporTV neste domingo (5), o mandatário da entidade brasileira afirmou:

– A Anvisa extrapolou nas suas decisões, poderia ter evitado tudo antes – disse o presidente em exercício da CBF, afirmando ainda que a situação pegou de surpresa todos que estavam assistindo à partida na Neo Química Arena.

– Todos levaram um susto. Lamentável episódio desse tipo. Brasil e Argentina desperta o interesse de todo mundo. Há três dias, pelo o que tomamos conhecimento, a Anvisa já estava acompanhando a seleção da Argentina. Se estava acompanhando e tem o protocolo da Anvisa, nos causou muita estranheza deixar para depois que o jogo se iniciasse – declarou.

O presidente em exercício negou que houve intervenção da CBF para que os quatro atletas argentinos pudessem jogar a partida.

– Em momento algum a CBF foi parte, por quem quer que seja, com relação a qualquer negociação para retirar atletas da equipe. Muito pelo contrário, a CBF respeita as normas sanitárias, isso seria uma situação da Conmebol com a Anvisa – e, em seguida, emendou:

– Ainda antes da partida se iniciar, o delegado da partida disse que poderiam jogar, para depois serem deportados. Mas depois, por um motivo que a CBF não conhece, mudaram – completou.

Fonte: Globo Esporte.


Paralimpíada: com quebra de recorde, Alessandro da Silva é ouro

Paralimpíada: com quebra de recorde, Alessandro da Silva é ouro

 

 

Alessandro da Silva fez valer a sua condição de favorito e conquistou a medalha de ouro na prova de lançamento de disco masculino classe T11 da Paralimpíada de Tóquio, nesta quarta-feira (1) no Estádio Olímpico. Esta é a segunda conquista do brasileiro no Japão, que ficou com a prata no arremesso de peso classe F11.

Atual detentor do recorde mundial da prova, de 46,10 metros (m), o paulista estabeleceu o novo recorde paralímpico, 43,16 m, em sua segunda tentativa, e garantiu a conquista no Japão. A prata ficou com o iraniano Mahdi Olad (40,60 m) e o bronze com o italiano Oney Tapia (39,52 m).

O favoritismo de Alessandro não se devia apenas ao fato de ser o atual detentor do recorde mundial da prova, mas vem também do fato de o brasileiro ter ficado no lugar mais alto do pódio também no Mundial de 2019 (Dubai), no Parapan-Americano (2019), no Mundial de 2017 (Londres) e nos Jogos Paralímpicos de 2016 (Rio de Janeiro).

Fonte: Globo Esporte.

Natação: Talisson Glock fatura seu 1º ouro nos 400m livre em Tóquio

Natação: Talisson Glock fatura seu 1º ouro nos 400m livre em Tóquio

 

 

O catarinense Talisson Glock faturou o ouro na madrugada desta quinta-feira (2), asua terceira medalha na Paralimpíada de Tóquio (Japão). Desta vez ele venceu a prova dos 400 metros livre da classe S6 (deficiência físico-motora), com o tempo de 4min54s42. O brasileiro já havia conquistado dois bronzes na Tóquio 2020: no revezamento misto 4×50 m livre 20 pontos e nos 100 metros livre (S6).

A disputa no Centro Aquático de Tóquio contou com Antonio Fantin, da Itália, que ficou com a prata com o tempo de 4min55s70, e Viacheslav Lenskii, do Comitê Paralímpico Russo (RPC, sigla em inglês), medalha de bronze, com a marca de 5min04s84.

Talisson Glock, de 26 anos, já conseguiu superar seu próprio desempenho na Rio 2016, quando terminou os Jogos com duas medalhas, prata e bronze.

Natural de Joinville (SC), o nadador brasileiro foi atropelado aos nove anos de idade por um trem e perdeu o braço e a perna esquerdos. Seis meses depois, ele foi convidado para participar do Centro Esportivo para Pessoas Especiais (Cepe), em Joinville. Em 2004, passou a se dedicar aos treinos de natação. Seis anos depois, em 2010, foi chamado para integrar a seleção brasileira de natação

A prova dos 400m livre classe S6 teve também a participação da mineira Laila Suzigan, de 21 anos, que terminou a disputa com o tempo de 5min38s72.

Fonte: Globo Esporte.

Gabrielzinho garante 2ª ouro na Paralimpíada, agora nos 50m costas

Gabrielzinho garante 2ª ouro na Paralimpíada, agora nos 50m costas

 

 

O mineiro Gabriel Araújo, o Gabrielzinho, conquistou na manhã de hoje (2) o ouro na prova dos 50 metros costas da classe S2 (deficiência físico-motora), com o tempo de 53s96. Esta é a terceira medalha de nadador, de 19 anos, na Paralimpíada de Tóquio (Japão). Ele já havia garantido o ouro nos 200 m livre da classe S2 e prata nos 100 metros costas (S2).

No Centro Aquático de Tóquio, na capital japonesa, o chileno Alberto Albarza ficou com a prata (57s76) e Vladimir Danilenko, do Comitê Paralímpico Russo, terminou com o bronze (59s47).

Gabriel Araújo é natural de Santa Luzia, Minas Gerais. O nadador de 19 anos tem focomelia, doença congênita que impede a formação de braços e pernas. A sua iniciação na natação paralímpica aconteceu por influência de um professor de educação física, em 2015.

Outros resultados

A mineira Ana Karolina Soares, de 21 anos, disputou a prova dos 100 metros costas da classe S14 (deficiência intelectual), encerrando em quinto lugar (1min11s29).

Já José Ronaldo da Silva, de Santa Rita de Passa Quatro (SP), competiu nos 50 m costas da classe S1 (deficiência físico-motora mais severa) e concluiu o percurso em quarto lugar (1min11s29).

Fonte: Globo Esporte.


CRB vence o Confiança e assume a vice-liderança da Série B: 2 a 1

CRB vence o Confiança e assume a vice-liderança da Série B: 2 a 1

 

 

A abertura da 22ª rodada da Série B, nesta quarta (1), foi da melhor maneira possível para a torcida do CRB. O Regatas viajou para Aracaju, onde duelou com o Confiança, na Arena Batistão. Após uma partida amplamente movimentada, o time alagoano conseguiu mais uma vitória fora de casa, agora por 2 a 1. Júnior Brandão e Jajá fizeram os gols regatianos, enquanto Tiago Reis descantou para o Clube Proletário.

Os resultados levaram o CRB para a vice-liderança da segundona, com 40 pontos. No entanto, os alagoanos não terminaram em uma posição melhor por conta da vitória do Coritiba sobre o Londrina. Por sua vez, o Dragão amarga mais uma rodada na lanterna da competição. O clube estacionou nos 13 pontos e vê a saída do Z-4 ainda mais distante.

As equipes terão um longo tempo de preparação até a 23ª rodada. Os dois clubes terão confrontos diretos em suas determinadas brigas. O Dragão joga primeiro, na próxima terça-feira (7), visitando o Brasil de Pelotas, atual penúltimo colocado. O Regatas terá um tempo maior de descanso, já que joga apenas no dia 11, recebendo o Goiás, outro clube que está dentro do G4.

1º Tempo

Com objetivos bem distintos na tabela, o jogo teve uma pequena polêmica no primeiro minuto de jogo. A bola pegou no braço de Nirley, mas o VAR não considerou penalidade. O Dragão, desesperado e na lanterna, chegou pelo alto aos 4 minutos. Nery Bareiro testou de cabeça, porém, mandou pra fora. O Galo começou mais retraído, explorando o contra-ataque. Brandão teve duas oportunidades de puxar um lance fatal, mas faltou capricho.

O capricho também fez falta nas estocadas ofensivas do Dragão. Mesmo com mais presença no campo de ataque, o time não conseguiu uma grande oportunidade nos primeiros 17 minutos. A chance mais perigosa foi do CRB, com Diego Torres. O camisa 10 teve a chance cobrar uma falta aos 18 minutos, bem próximo da área, mas isolou.

O lance, porém, parece ter acendido a chama regatiana. Em novo vacilo do Dragão, o time alagoano achou um belo contra-ataque aos 22 minutos. Diego Torres lançou para Júnior Brandão, que na terceira tentativa de atacar, não desperdiçou. Arriscou um belo chute da entrada da área e Michael aceitou: 1 a 0 para o Galo. A resposta veio aos 26, quando finalmente os sergipanos finalizaram no gol. Bocão pegou o rebote de fora da área e Diogo Silva segurou firme.

O Confiança não parou por aí. Logo na sequência, aos 27 minutos, uma nova chegada assustou o Regatas. Bocão cruzou e Álvaro apareceu livre na área, contudo, o camisa 10 estava desequilibrado e mandou pra fora, beliscando a trave. Com 30, Nirley tentou de cabeça, entretanto também desperdiçou. A partida começou a ser facilmente controlada pelo clube regatiano, que seguiu controlando bem a parte defensiva após abrir o placar.

Os minutos finais da etapa inicial foram de muitas tentativas ofensivas do Confiança. Com 42, Diogo Silva afastou um cruzamento perigoso, na direção do gol. Até aos 46 minutos da primeira etapa, o Dragão tentou apertar de qualquer maneira, porém, faltou qualidade, deixando o placar em vantagem para os alagoanos no primeiro tempo.

2º tempo

Luizinho Lopes mudou no intervalo e teve um feedback positivo logo de cara. Robinho, que entrou no lugar de Hernane, finalizou com perigo com 1 minuto, fazendo Diogo Silva trabalhar. O camisa 21 apareceu de novo, aos 2 minutos, colocando a bola na área, todavia, Gum tirou o perigo.

A primeira chegada do Galo no segundo tempo foi com requintes de crueldade. Novo contra-ataque foi armado e Jajá lançado na esquerda. O atacante fez tudo sozinho, invadiu a área, cortou para o meio da pequena área e facilmente estufou as redes sergipanas para chegar ao 2 a 0, com 6 minutos do segundo tempo. Aos 11, Diego Torres desperdiçou a chance de abrir uma goleada. O meia apareceu livre, cortou o goleiro Michael, mas demorou e foi travado pela defesa.

Nome mais insinuante do Confiança no jogo, Robinho teve nova oportunidade aos 16, mas cabeceou pra fora. A resposta do CRB foi acima. Mais um contra-ataque se formou, Pablo Dyego invadiu a área pela direita e mandou um petardo que explodiu na trave de Michael. Robinho foi com fome, aos 18, dançou dentro da área e fez Diogo Silva trabalhar mais uma vez.

A sequência da defesa, foi mais perfeita ainda para a torcida proletária. João Paulo cobrou na medida, para Tiago Reis, que tinha poucos segundos em campo, e diminuiu o placar com 18 minutos. No entanto, as emoções não pararam por aí. Brandão marcou o terceiro gol na saída de bola, mas foi anulado. O Dragão quase empatou, aos 21, com uma bomba do volante Madison, de longa distância e o arqueiro regatiano livrou o empate.

A troca de ataques, muito por conta da situação na tabela, foi evidente na etapa final. Allan Aal não abriu mão de jogar no contra-ataque, mesmo com a pressão sergipana. Luizinho Lopes apostou em jogadores ofensivos. João Paulo, lateral-esquerdo, experimentou uma de atacante aos 34, mas cabeceou pela linha de fundo. Wesley e Emerson Negueba responderam com dois chutes cruzados, porém, Michael se redimiu e espalmou nas duas vezes.

As chances de matar o jogo foram aparecendo para o Galo após o Confiança se atirar no ataque. Alisson Farias entrou na função de Jajá, mas na hora de finalizar, mandou longe do gol, aos 40 minutos. Leo Simão Holanda indicou mais seis minutos de acréscimos, único tempo restante para o Dragão buscar o empate. Porém, no fim, a única chance veio uma finalização mal feita de João Paulo, decretando de vez a vitória regatiana.

Ficha técnica

Confiança – Michael; Jonathan Bocão (Rafael Vila), Nirley, Nery Bareiro e João Paulo; Madison, Jhemerson e Álvaro (Ítalo); Luidy (Lucas Sampaio), Willians Santana (Tiago Reis) e Hernane Brocador (Robinho). Técnico: Luizinho Lopes

CRB – Diogo Silva; Reginaldo, Gum (Frazan), Caetano e Guilherme Romão; Marthã (Claudinei), Wesley e Diego Torres (Renan Bressan); Pablo Dyego, Jajá (Alisson Farias) e Júnior Brandão (Emerson Negueba). Técnico: Allan Aal

Cartões amarelos – Nery Bareiro (Confiança); Hernane Brocador (Confiança); Marthã (CRB); Serginho (Confiança); Jhemerson (Confiança)

Árbitro – Leo Simão Holanda (CBF-CE)

Assistentes – Cleberson do Nascimento Leite (CBF-CE) e Renan Aguiar da Costa (CBF-CE)

VAR – Rafael Traci (FIFA)

Assistente do VAR – Anderson da Silveira Farias (CBF-RS)

Fonte: Gazetaweb.


Paralimpíada: Maciel Santos vai à semifinal da bocha

Paralimpíada: Maciel Santos vai à semifinal da bocha

 

 

Maciel Santos derrotou Hiu Lam Yeung, de Hong Kong, pelas quartas de final da bocha paralímpica pelo placar de 6 a 5 na noite da última segunda (30) na Paralimpíada de Tóquio (Japão). Agora, ele enfrenta o japonês Hidetaka Sugimura na semifinal, que acontece às 5h15 desta terça-feira (31).

Já Evelyn de Oliveira perdeu sua partida das quartas de final por 9 a 1 para o atleta britânico Scott McGowan.

Praticada por atletas com elevado grau de paralisia cerebral ou deficiências severas, a bocha paralímpica consiste em lançar bolas coloridas o mais perto possível de uma bola branca.

Os atletas ficam sentados em cadeiras de rodas e limitados a um espaço demarcado para fazer os arremessos. É permitido usar as mãos, os pés e instrumentos de auxílio, e contar com ajudantes (calheiros), no caso dos atletas com maior comprometimento do movimento dos membros.

Fonte: Globo Esporte.


CRB empata com o Cruzeiro e perde chance de assumir a liderança da Série B

CRB empata com o Cruzeiro e perde chance de assumir a liderança da Série B

Em momentos opostos da Série B, o CRB empatou em 0 a 0, com o Cruzeiro, neste domingo (29), no estádio Rei Pelé. Com empate sem gols, o Galo chega a 37 pontos e permanece na 3ª colocação, dois pontos a menos que o líder Coritiba.

Já o Cruzeiro tem 25 pontos e ocupa o 14º posto, enquanto o Londrina, primeiro integrante da zona de rebaixamento, soma 21 pontos.

Pela 22ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, o CRB volta a campo para enfrentar o Confiança às 19 horas (de Brasília) desta quarta-feira, no Estádio Batistão. O Cruzeiro, por sua vez encara o Goiás apenas às 21h30 da próxima terça, na Serrinha.

O JOGO

O CRB teve uma grande oportunidade para inaugurar o marcador no final do primeiro tempo. Após falha de Ramon na saída de bola, Jajá arrancou pela esquerda e cruzou na segunda trave. Júnior Brandão, então, completou de primeira e com violência, muito perto do gol de Fábio.

Na etapa complementar, com o gramado castigado pela chuva, o CRB voltou a assustar. Em cobrança de escanteio pela esquerda, Alisson Farias levantou na primeira trave e Romão cabeceou para o gol. Em cima da linha, o veterano Fábio defendeu.

Nos acréscimos, em uma boa chegada do Cruzeiro, Matheus Pereira puxou contra-ataque pela esquerda e passou para Rafael Sobis finalizar da entrada da área, mas Diogo Silva espalmou. Há oito rodadas sem perder na Série B, o Cruzeiro acumula cinco empates e três vitórias.

FICHA TÉCNICA
CRB 0 x 0 CRUZEIRO

Local: Estádio Rei Pelé, Maceió (AL)

Data: 29 de agosto de 2021, domingo

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)

Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Daniel de Oliveira Alves Pereira (RJ)

VAR: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)

Cartões amarelos: Marthã (CRB); Flávio (CRU)

CRB: Diogo Silva; Reginaldo, Gum, Caetano e Guilherme Romão; Marthã, Jean Patrick e Renan Bressan (Diego Torres); Jajá (Alisson Farias), Pablo Dyego e Júnior Brandão (Emerson Negueba). Técnico: Allan Aal.

CRUZEIRO: Fábio; Rômulo, Ramon, Eduardo Brock e Matheus Pereira; Flávio (Marco Antônio), Adriano e Giovanni (Claudinho); Wellington Nem (Marcinho), Bruno José (Felipe Augusto) e Thiago (Rafael Sobis). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Fonte: Todo Segundo.


Acabou o efeito manada. Clubes comemoram fim de monopólio da Globo

Acabou o efeito manada. Clubes comemoram fim de monopólio da Globo

A cúpula da Globo sabia da derrota. Para tentar disfarçar todo desgosto com o fim definitivo do monopólio de transmissão de futebol neste país, divulgou uma carta aberta aos clubes, vitoriosos, ao enfrentar a emissora carioca.

A carta é histórica, com a Globo ‘jogando a toalha’, reconhecendo que não poderá nunca mais ganhar o direito de transmissão por efeito manada. Ou seja, seduzindo os clubes de maior popularidade com muito dinheiro e obrigando os clubes médios e pequenos a aderirem aos seus contratos, aceitando a oferta da emissora. Ou ficar sem ganhar e sem poder vender seus jogos para qualquer outra emissora ou plataforma.

A Câmara dos Deputados em julho já havia aprovado de forma resoluta a questão. Com uma vitória esmagadora por 432 contra apenas 17, os deputados federais decidiram a favor da ‘lei do mandante’. Ou seja, o clube que tiver o mando dos jogos poderá negociar com a tevê, ou outra plataforma, que desejar.

E o Senado de forma ainda mais contundente decidiu a situação.

A votação foi 60 a 0 a favor da lei do mandante.

Agora só falta a sanção do presidente Jair Bolsonaro, principal defensor do final do atual sistema de distribuição de transmissão dos torneios no país.

Para deixar claro como ficará, por exemplo, o Corinthians fecha contrato com a emissora x. E o Palmeiras tem contrato com a emissora y. No primeiro turno, quando a partida for em Itaquera, a emissora x mostra o jogo. Quando for no Allianz Parque, será a emissora y.

Fonte: Todo Segundo.


Daniel Dias é bronze e alcança a 25ª medalha em Paralimpíadas

Daniel Dias é bronze e alcança a 25ª medalha em Paralimpíadas

 

 

A lenda continua! Nadador paralímpico mais vencedor da história, Daniel Dias, de 33 anos, conquistou na manhã desta quarta-feira, no Centro Aquático de Tóquio, a medalha de bronze nos 200m livre da classe S5. É, simplesmente, o 25º pódio em Paralimpíadas em sua carreira.

O brasileiro cravou a marca de 2min38s61, ficando atrás apenas do italiano Francesco Bocciardo (ouro com 2min26s76, novo recorde paralímpico) e do espanhol Antoni Ponce (2min35s20).

Com a medalha, Daniel consegue uma façanha: desde as Paralimpíadas de 2008 ele sobe consecutivamente ao pódio. São 14 ouros, sete pratas e quatro bronzes em sua trajetória.

Foi a quarta medalha do país no dia. Antes de Daniel, Gabriel Bandeira levou o ouro nos 100m borboleta da classe S14, Gabriel Araújo foi prata nos 100 costas da classe S2 e Phelipe Rodrigues terminou em terceiro nos 50m livre da classe S10.

Fonte: Globo Esporte.