A Copa do Brasil é do Rubro-Negro Paranaense

A Copa do Brasil é do Rubro-Negro Paranaense

Um furacão. “O” Furacão. A prova de que um planejamento bem feito gera frutos.
Não foi o acaso. Nem sorte ou um acidente de percurso. Nada disso. Foi a premiação de um trabalho bem feito.
O patamar que vem aumentando a cada ano. De um time “mediano” para um que incomoda. Dentro e fora de campo. E assim, os títulos começaram a surgir.
Uma Copa do Brasil incontestável. Foram 8 jogos; 4 vitórias, 3 empates e 1 derrota; 8 gols marcados e 5 sofridos. Aconteceram as penalidades contra Flamengo e Grêmio (a virada histórica), onde os poetas do futebol cravavam a desclassificação. Classificação dura contra o Fortaleza. Até a tão sonhada final e duas vitórias contra o Internacional.
Campanha sólida de um time sólido, constante. As emoções nessa caminhada aconteceram, sim, mas saber ultrapassa-las foi um trunfo. Um time jovem, porém, maduro. A coragem e personalidade para jogar futebol virou uma marca registrada desse Athlético do técnico Tiago Nunes.
E por falar em Tiago Nunes, que trabalho faz o treinador. Depois de “comer o pão que o inimigo amassou” em times sem muita estrutura, vem mostrando suas qualidades e virtudes no Athético-PR. Foi campeão paranaense profissional, com a equipe sub-23; assumiu a equipe principal, conseguiu o título da Copa Sul-Americana e agora entra de vez na história do clube com o troféu inédito da Copa do Brasil. Conseguiu formar um time arrojado, forte coletivamente, com variações táticas, padrão de jogo e muito competitivo. Puro merecimento.
O Furacão é a prova de que imediatismo no futebol não cola. Um clube que se estruturou e se reestruturou. Onde existe um trabalho de base incrível, que dá oportunidades para os garotos. Planejamento sério e profissional nos bastidores. O fruto do “a longo prazo” plantado e colocado em prática. Agora, colhido. E mais uma vez: Puro merecimento!
Desse jeito, incomodando e levantando taças. O Athlético-PR se coloca de vez no alto escalão do futebol brasileiro. Sem o acaso, nada de sorte ou aleatoridade. “Apenas” por puro merecimento.


‘Rainha Marta’: deputados aprovam projeto de lei que altera nome do Estádio Rei Pelé

‘Rainha Marta’: deputados aprovam projeto de lei que altera nome do Estádio Rei Pelé

Com 24 deputados presentes na sessão, o plenário da Assembleia Legislativa de Alagoas aprovou cinco matérias, dentre elas, o projeto de lei, de autoria do deputado Antonio Albuquerque (PTB), que altera o nome do estádio Rei Pelé, situado no bairro do Trapiche, em Maceió, para estádio Rainha Marta. A matéria foi votada em segunda votação, porém, uma emenda apresentada pelo deputado Sílvio Camelo (PV), que transforma o nome do estádio em “Rei Pelé e Rainha Marta” foi adiada, devido a solicitação de Antonio Albuquerque.

Este destaque, que estava sendo votado em separado do projeto, deverá retornar ao plenário na próxima semana e, só assim, o projeto será enviado ao governador Renan Filho, que por sua vez poderá sancionar ou vetar a matéria. Se vetar, o projeto retorna a Assembleia Legislativa para que os deputados possam analisar o veto governamental. Se sancionar, a matéria se tornará lei. Votaram contra o projeto, os deputados Davi Maia (DEM), Jó Pereira (MDB), Marcos Barbosa (Cidadania), Davi Davino Fiho (PP), Bruno Toledo (Pros), Galba Novaes (MDB), Cabo Bebeto (PSL) e Sílvio Camelo (PV).
Antonio Albuquerque defende sua iniciativa afirmando que Marta é um exemplo de tenacidade do povo alagoano, sua história de superação e triunfos a tornam um símbolo de empoderamento feminino, desde Dois Riachos, quando enfrentou preconceitos ao jogar futebol em meio aos garotos da cidade, até em Londres, na Inglaterra, ao superar notáveis nomes do futebol mundial, sendo a única hexa vencedora de títulos de melhor do mundo. “As grandezas de Marta e Pelé são irrefutáveis e incomparáveis. Ambos têm importância nacional e mundial, mas somente Marta tem a importância local por seus laços e identidade com o Estado, com o povo e com o futebol alagoano”, disse.
Fonte: ALE


Peru vence o Brasil nos EUA, e Tite chega à 3ª derrota à frente da Seleção

Peru vence o Brasil nos EUA, e Tite chega à 3ª derrota à frente da Seleção

A Seleção Brasileira somou sua terceira derrota sob o comando do técnico Tite na madrugada desta quarta-feira. Enfrentando o Peru no Los Angeles Memorial Coliseum, nos EUA, o time canarinho voltou a exibir problemas e novamente não conseguiu sair de campo com um resultado positivo. Graças ao gol de Abram, aos 39 minutos do segundo tempo, a seleção peruana vingou a derrota na final da Copa América e conquistou sua quinta vitória sobre o Brasil na história.

Nesta quarta-feira, Tite colocou em campo uma Seleção Brasileira com algumas mudanças. David Neres, Allan, Militão e Fagner começaram o jogo como titulares. No decorrer do duelo, Neymar, Fabinho, Lucas Paquetá, Bruno Henrique e Vinícius Jr, que estrou pelo time principal do Brasil, foram acionados, mas não conseguiram fazer a diferença.

O Peru, por sua vez, jogou sem seu principal atleta: Paolo Guerrero. O atacante pediu dispensa por estar prestes a disputar a final da Copa do Brasil com o Internacional. Desta forma, Ricardo Gareca teve de fazer algumas adaptações em sua equipe, mas provou que os dois confrontos com o Brasil na Copa América serviram de lição para o time andino, enfim, vencer o seu algoz.

O jogo

A primeira grande oportunidade da partida aconteceu aos 13 minutos e foi da seleção peruana. O time comandado pelo técnico Ricardo Gareca cobrou escanteio no primeiro pau, e Tapia se antecipou para cabecear com veneno, mandando rente à meta defendida por Ederson. Já aos 19 o Brasil respondeu com David Neres, que desperdiçou uma excelente oportunidade, talvez a mais clara do primeiro tempo, driblando o goleiro após receber de Firmino dentro da área, mas sendo travado por Advíncula na hora “h”.

Aos 22, o Peru voltou a assustar com Flores. Marquinhos cortou de cabeça o cruzamento vindo da direita, e a bola sobrou nos pés de Flores, que chutou de primeira, sem deixá-la pingar no gramado, e tirou tinta da trave direita de Ederson. Três minutos depois, a Seleção Brasileira mais uma vez respondeu ao ímpeto adversário, agora com Richarlison, que tabela com Firmino, aproveita o corte da defesa para continuar com a bola e bater cruzado, mandando muito próximo do cantinho direito de Gallese.

Antes de as equipes irem para o intervalo, o Brasil ainda teve uma última chance de assegurar a vantagem no placar, mas a sorte realmente não estava do lado do time verde e amarelo. Aos 43 minutos, Richarlison finalizou da entrada da área e forçou grande defesa do goleiro peruano, que se esticou todo para manter o 0 a 0 no marcador.

Segundo tempo

No segundo tempo o Brasil voltou mais ligado para o gramado e aos quatro minutos quase abriu o placar. Richarlison fez boa jogada individual, levou para o meio e tocou em profundidade para Allan, que saiu cara a cara com Gallese, mas chutou em cima do goleiro peruano. Aos oito, nova boa oportunidade para a Seleção. Firmino disputou bola no ataque, e ela sobrou para Coutinho, que chegou batendo de primeira, soltando uma bomba, mas o arqueiro rival fez outra importante defesa.

A blitz verde e amarela não parou por aí. Aos 17, Philippe Coutinho bateu no canto de Gallese, a bola desviou no meio do caminho e foi no cantinho, mas o goleiro peruano ficou com ela para frear novamente o ímpeto adversário. Sem conseguir estufar as redes, o Brasil sofreu algumas alterações no decorrer do duelo. Neymar, Paquetá e Fabinho entraram nas vagas de Firmino, David Neres e Casemiro, respectivamente, e a equipe melhorou.

Pouco depois, foi a vez de Vinícius Jr entrar em campo e fazer sua estreia pela Seleção Brasileira principal. Bruno Henrique também foi acionado pelo técnico TIte, mas, mesmo subindo de produção, a equipe canarinho acabou castigada já na reta final do jogo, mais precisamente aos 39 minutos, quando Abram completou de cabeça o cruzamento da direita, subindo mais alto que Militão, e garantindo o triunfo peruano por 1 a 0 que teve gosto de vingança depois de o país perder a final da Copa América para o Brasil.


Com dois de Matheus Cunha, Seleção Olímpica faz 3 a 1 no Chile

Com dois de Matheus Cunha, Seleção Olímpica faz 3 a 1 no Chile

A Seleção Brasileira Olímpica venceu o Chile por 3 a 1, em amistoso disputado na noite desta segunda-feira, no Pacaembu. Matheus Cunha, duas vezes, e Antony marcaram para o Brasil, enquanto Dávila, de pênalti, descontou.

Com o triunfo, o time do técnico André Jardine fecha a série de dois amistosos preparatórios para o Pré-olímpico em janeiro, na Colômbia, com duas vitórias. Na última quinta-feira, a equipe bateu a Colômbia por 2 a 0.

O Brasil começou bem o primeiro tempo. Logo aos 11 minutos, Matheus Cunha perdeu uma chance clara, após belo cruzamento do ex-corintiano Guilherme Arana. Porém, minutos depois, o atacante se redimiu e abriu o placar, depois de receber de Pedrinho e tocar na saída de Collao.

Apesar de sofrer o gol, o Chile foi crescendo aos poucos e começou a incomodar, principalmente Dávila. E foi de seus pés que saiu um pênalti para a equipe chilena. O camisa 10 recebeu dentro da área, chutou forte e a bola bateu no braço do zagueiro Lyanco. O juiz marcou e, na cobrança, Dávila não desperdiçou, aos 36.

A igualdade persistiu até o fim da etapa inicial graças ao goleiro Cleiton, do Atlético-MG. O arqueiro fez duas grande defesas que garantiram o 1 a 1.

Jardine acertou o grupo no intervalo e sua equipe voltou com outra postura. Bem mais agressiva, não demorou para voltar a assumir o placar. Com seis minutos, novamente Matheus Cunha marcou. O camisa 9 aproveitou o vacilo da zaga adversária e só teve o trabalho de empurrar para o gol.

Dominando o jogo, o Brasil não tinha dificuldades para chegar à meta chilena e pouco era sufocado. Apagado na partida, Antony ampliou com um bonito gol. Matheus Cunha, o nome jogou, tocou para o são-paulino, que, rapidamente, girou e acertou um bonito chute colocado.

Aos 35 minutos, o zagueiro brasileiro Lyanco e o lateral-esquerdo chileno Ibacache foram expulsos após confusão generalizada.

Os dois treinadores fizeram uma série de substituições e o ritmo caiu. O time brasileiro estava satisfeito com o resultado, e o Chile pouco oferecia perigo. Sendo assim, restou apenas esperar o apito final, diante de 5 mil torcedores que acompanharam o duelo sub-23, com grande presença de crianças.


Com gols de Alecsandro e Gómez, CSA bate a Chape por 2 a 0, no Rei Pelé

Com gols de Alecsandro e Gómez, CSA bate a Chape por 2 a 0, no Rei Pelé

Se não for no sufoco não é CSA! Em um jogo que teve de tudo: dois gols anulados, duas expulsões e dois pênaltis desperdiçados (um para cada lado), o CSA venceu a Chapecoense, por 2 a 0, na noite deste domingo (8), no Estádio Rei Pelé, em partida que fechou a 18ª rodada do Brasileirão, e subiu uma posição, saindo da vice-lanterna na tabela de classificação.

O Azulão teve dois gols anulados no primeiro tempo e, achando pouco, ainda perdeu a chance de fazer o gol numa cobrança de pênalti malfeita de Alecsandro. Mas foi o próprio Alecsandro que abriu o placar para os azulinos, aos 40 minutos do 1º tempo. Na etapa final, o CSA marcou com o argentino Jonatan Gómez, já nos acréscimos.

No segundo tempo, a Chape teve dois jogadores expulsos: Márcio Araújo e Gum. A Chape também perdeu um pênalti, pois Everaldo cobrou e Jordi fez uma grande defesa.

A vitória azulina desta noite se deu um dia após o CSA comemorar 106 anos de fundação, nesse sábado (dia 7 de setembro), e valeu como um grande presente de aniversário para todos no Azulão.


Athletico bate Grêmio nos pênaltis e faz final da Copa do Brasil

Athletico bate Grêmio nos pênaltis e faz final da Copa do Brasil

Em um jogo frenético, o Athletico-PR conquistou a vaga na final da Copa do Brasil de 2019 durante a noite desta quarta-feira. Após perder por 2 a 0 na em Porto Alegre, a equipe de Tiago Nunes, empurrada pelo caldeirão chamado Arena da Baixada, amassou o Grêmio, devolveu o placar com gols de Nikão e Marco Ruben e levou a decisão para os pênaltis. Na marca da cal, Santos defendeu a cobrança de Pepê, a última depois de todos converterem, e colocou o Furacão na decisão.
Desse modo, o Athletico, vice-campeão em 2013, segue almejando a inédita taça. Agora, a equipe de Tiago Nunes espera o vencedor do confronto de logo mais, entre Internacional e Cruzeiro, no Beira-Rio. Os gaúchos têm a vantagem após triunfarem por 1 a 0 fora de casa.

Além da oportunidade de escrever o nome na história, o torneio proporciona uma premiação milionária. Ademais aos R$ 12 milhões já recebidos até a semifinal, o vencedor embolsa outros R$ 52 milhões. O vice leva mais R$ 21 milhões.
O Grêmio, por sua vez, cai na primeira competição de mata-mata no ano. Campeão estadual, o time de Renato Gaúcho direciona suas atenções para a Copa Libertadores, onde enfrenta o Flamengo na semifinal, além do Campeonato Brasileiro, competição em ocupa apenas a 11ª colocação, com 22 pontos.
Intenso, Athletico-PR sai na frente no primeiro tempo
Em um começo de partida frenético e brigado, o Athletico-PR se safou de um pênalti. Após cobrança de escanteio, Pedro Geromel cabeceou e a bola foi em direção ao braço de Wellington, que aparentava estar com um olho fechado no momento do toque. Avisado pelo VAR, o árbitro de campo utilizou o recurso de vídeo, mas optou por não assinalar a infração.
Sem se abater com o susto, o Furacão manteve o ritmo alucinante e abriu o placar aos 16 minutos. Com o lateral-direito Leonardo fora por lesão, Rony caiu pelo setor defensivo do Grêmio e cruzou para trás. Bruno Guimarães carimbou no travessão e Nikão, no rebote, mandou para as redes, transformando a Arena da Baixada em um caldeirão.
Aproveitando a empolgação de sua torcida e um Grêmio abalado, os paranaenses encurralaram o adversário na defesa e seguiram pressionando por toda a primeira etapa. Apesar da superioridade, o time da casa não voltou a construir chances claras de gol para aumentar a vantagem.
Athletico-PR faz mais um e leva a decisão para os pênaltis
O cenário não poderia ser melhor para o Furacão no início da etapa complementar. Logo aos três minutos, Rony, sempre ele, foi acionado pela esquerda e cruzou para a área, onde Marco Ruben se antecipou a Pedro Geromel e cabeceou com estilo para marcar mais um em favor dos mandantes.
Com o 2 a 0 contra e a partida indo para os pênaltis, o Grêmio adiantou a linha de marcação, foi para o ataque e acabou contragolpeado. Depois de Matheus Henrique perder a bola, Léo Cittadini arrancou e foi brecado com violência por Kannemann. Sem precisar nem consultar o VAR, o árbitro expulsou direto o zagueiro gremista.
Diante desse cenário, Renato Gaúcho sacrificou André e colocou David Braz para recompor o sistema defensivo. O defensor, inclusive, proporcionou uma empolgação momentânea ao torcedor quando marcou de cabeça. O árbitro de vídeo, porém, entrou em ação e anulou o tento por impedimento.
Tiago Nunes, por outro lado, avançou a equipe ao tirar o volante Wellington e colocar o atacante Marcelo Cirino. Apesar da postura ofensiva e dominante, o Athletico quase foi surpreendido nos minutos finais, quando David Braz fez boa jogada e cruzou para a área, local em que Marco Ruben mandou contra o patrimônio e viu Santos salvar sua pele, levando a decisão para os pênaltis.
Na marca da cal, o Furacão vai à final
Nos pênaltis, Bruno Guimarães, Lucho González, Nikão, Marcelo Cirino e Marco Ruben fizeram para o Athletico-PR, enquanto Rafael Galhardo, David Braz, Alisson e Matheus Henrique converteram para o Grêmio. Na última cobrança, Pepê parou em Santos, que colocou o Furacão na final da Copa do Brasil pela segunda vez na história.


Inter vence o Cruzeiro de novo e vai à final da Copa do Brasil

Inter vence o Cruzeiro de novo e vai à final da Copa do Brasil

O Inter está de volta à final da Copa do Brasil. A vitória sobre o Cruzeiro, por 3 a 0, em um Beira-Rio lotado (com 4 a 0 no placar agregado), com dois gols de Guerrero e um de Edenilson, colocou a equipe de Odair Hellmann na decisão. Para a surpresa de muitos, o adversário será o Athletico-PR que, horas antes, em Curitiba, eliminou o Grêmio nas cobranças de pênaltis, por 5 a 4.
Na tarde dessa quinta-feira (5), os mandos de campo das finais do torneio serão sorteados na sede da CBF, no Rio. As datas, porém, estão confirmadas: 11 e 18 se setembro. De quebra, a vitória sobre o Cruzeiro salvou o caixa colorado em 2019. Com R$ 21 milhões já garantidos – prêmio destinado ao vice-campeão -, podendo faturar R$ 52 milhões – caso fique com a taça -, o clube fechará o ano com um inesperado superávit.

O clássico começou em velocidade máxima. Com um minuto de jogo, uma chance de gol para cada lado. Guerrero foi bloqueado ao chutar. No rebote, Edenilson foi travado. Na sequência do lance, Marcelo Lomba defendeu um chute de Pedro Rocha e, no rebote, David bateu para fora. Obrigado a vencer, o Cruzeiro mostrava mais fome de ataque do que o Inter, nos primeiros movimentos – sempre mais perigosos que os dos colorados.
Aos poucos, o Inter foi se acalmando em campo. A vantagem do empate, com um adversário atacando insistentemente, pareceu enervar a equipe nos primeiros movimentos. Nico, aos 12 minutos, bateu de fora da área, à direita do gol, mas esse lance mostrou um Inter que voltava à carga em seu estádio. Empurrado pela torcida, o Inter passou a buscar o primeiro gol. Por vezes, correndo riscos. Cuesta, aos 15 minutos, saiu da zaga e foi até a área mineira para chutar a gol – e quase fez, mas a bola saiu em curva, à esquerda.
Apesar de o Cruzeiro ter maior posse de bola, era o Inter quem visitava mais vezes a área mineira, ainda que sem uma grande conclusão ao gol. Aos 32 minutos, Thiago Neves fez o torcedor trancar a respiração nas arquibancadas, ao bater em curva uma bola que quase lambeu a trave. Mas, sete minutos depois, o Inter começava a encaminhar a vaga.
Edenilson roubou a bola no meio-campo, passou para Nico López, que correu para a ponta e inverteu a jogada para D’Alessandro. O camisa 10, na área do Cruzeiro, chamou a atenção de toda a defesa mineira e cruzou para a pequena área, onde Guerrero nem precisou pular para cabecear, ver a bola entrar e correr para o abraço a D’Alessandro.
O 1 a 0 de Paolo Guerrero foi um balde água fria no Cruzeiro. Depois do gol, o Inter passou a dominar completamente o clássico até o final do primeiro tempo. Com 2 a 0 no placar agregado, a equipe de Odair Hellmann precisava apenas administrar a vantagem para se colocar na final.
No segundo tempo, sem Dedé, lesionado, e com o volante Ariel Cabral em campo, o Cruzeiro bem que tentou esboçar uma reação. Mas o Inter retornou valorizando a posse de bola e tentando abrir uma vez mais a defesa mineira. Mais entusiasmado no clássico, os donos da casa seguiam em busca do segundo gol. O Cruzeiro, por sua vez, aos poucos parecia ir desistindo da briga pela vaga.
Com o Cruzeiro tentando a sua última cartada, o Inter se posicionou todo na defesa e passou a buscar os contra-ataques. Guerrero teve a melhor chance, correndo desde o meio-campo até quase o gol, mas lhe faltou fôlego para concluir, e acabou perdendo a bola.
O mata-mata chegou ao fim aos 24 minutos do segundo tempo. Edenilson, à la Pedro Iarley, levou a bola quase para o escanteio e, de lá, cruzou para Nico, que dentro da área encontrou Guerrero. O camisa 9 da seleção peruana matou no peito e, sem deixar a bola quicar, mandou uma pancada no ângulo. Um golaço. Ainda teve tempo para o terceiro: aos 44, Cuesta fez belo lançamento na área e Edenilson venceu Fábio para dar números finais ao jogo.
A noite em vermelho foi perfeita: rival eliminado, Inter de volta a uma grande final nacional com uma partida madura. Três anos depois de viver um pesadelo, o Inter tem a chance de retomar com uma taça e vaga à Libertadores o seu posto junto à elite dos gigantes do futebol brasileiro.


Marta, Formiga e Andressa Alves concorrem à seleção do ano da Fifa e FIFPro

Marta, Formiga e Andressa Alves concorrem à seleção do ano da Fifa e FIFPro

A Fifa em conjunto com a FIFPro divulgou nesta quarta-feira a lista com as jogadoras que concorrem a uma vaga na seleção do ano. Através dos votos de milhares de atletas profissionais do mundo inteiro, a relação chegou a 55 nomes: cinco goleiras, 20 defensoras, 15 meio-campistas e 15 atacantes. O Brasil está sendo representado por Andressa Alves, Formiga e Marta.
Essa é a quarta edição da premiação da FIFPro exclusiva para o futebol feminino, a primeira em parceria com a Fifa. Para chegar à lista final, cada jogadora que participou da votação precisou apontar sua seleção ideal com uma goleira, quatro defensoras, três meio-campistas e três atacantes.

As 55 jogadoras representam 16 nacionalidades diferentes. O país recordista em indicações é os Estados Unidos, com 14 atletas; seguido por Inglaterra, Holanda (sete cada) e França (seis). O Lyon, da França, é o clube com mais jogadoras na lista: 13.
A seleção do ano será divulgada no dia 23 de setembro, em Milão, no The Best Football Awards da Fifa, que apontará também a seleção do ano no futebol masculino, melhor jogador do mundo, o vencedor do prêmio Puskás, entre outras premiações.

Confira a lista:

Goleiras (5)

Sarah Bouhaddi (FRA) – Lyon
Christiane Endler (CHI) – Paris Saint-Germain
Hedvig Lindahl (SWE) – Chelsea / VfL Wolfsburg
Alyssa Naeher (USA) – Chicago Red Stars
Sari van Veenendaal (NED) – Arsenal / Atlético de Madrid

Defensoras (20)

Millie Bright (ENG) – Chelsea
Lucy Bronze (ENG) – Lyon
Kadeisha Buchanan (CAN) – Lyon
Abby Dahlkemper (USA) – North Carolina Courage
Crystal Dunn (USA) – North Carolina Courage
Nilla Fischer (SWE) – Linkopings
Sara Gama (ITA) – Juventus
Alex Greenwood (ENG) – Manchester United / Lyon
Steph Houghton (ENG) – Manchester City
Ali Krieger (USA) – Orlando Pride
Saki Kumagai (JPN) – Lyon
Amel Majri (FRA) – Lyon
Griedge Mbock (FRA) – Lyon
Maren Mjelde (NOR) – Chelsea
Kelley O’Hara (USA) – Utah Royals
Wendie Renard (FRA) – Lyon
Michelle Romero (VEN) – Deportivo La Coruna
Camila Saez (CHI) – Rayo Vallecano
Becky Sauerbrunn (USA) – Utah Royals
Stefanie van der Gragt (NED) – Barcelona

Meio-campistas (15)

Andressa Alves (BRA) – Roma
Kosovare Asllani (SWE) – CD Tacon
Sara Daebritz (GER) – Paris Saint-Germain
Julie Ertz (USA) – Chicago Red Stars
Formiga (BRA) – Paris Saint-Germain
Jackie Groenen (NED) – FFC Frankfurt / Manchester United
Amandine Henry (FRA) – Lyon
Lindsey Horan (USA) – Portland Thorns
Rose Lavelle (USA) – Washington Spirit
Carli Lloyd (USA) – Sky Blue
Dzsenifer Marozsan (GER) – Lyon
Samantha Mewis (USA) – North Carolina Courage
Sherida Spitse (NED) – Valerenga
Danielle van de Donk (NED) – Arsenal
Keira Walsh (ENG) – Manchester City

Atacantes (15)

Oriana Altuve (VEN) – Rayo Vallecano
Caroline Graham Hansen (NOR) – Barcelona
Pernille Harder (DEN) – VfL Wolfsburg
Tobin Heath (USA) – Portland Thorns
Ada Hegerberg (NOR) – Lyon
Jennifer Hermoso (ESP) – Atlético de Madrid / FC Barcelona
Sam Kerr (AUS) – Chicago Red Stars
Eugenie Le Sommer (FRA) – Lyon
Marta (BRA) – Orlando Pride
Lieke Martens (NED) – Barcelona
Vivianne Miedema (NED) – Arsenal
Alex Morgan (USA) – Orlando Pride
Nikita Parris (ENG) – Manchester City / Lyon
Megan Rapinoe (USA) – Reign FC
Ellen White (ENG) – Birmingham City / Manchester City


Mengão vence o Palmeiras por 3 a 0, no Maracanã

Mengão vence o Palmeiras por 3 a 0, no Maracanã

Deu Mengão! Com mais uma grande atuação, o Mais Querido venceu o Palmeiras por 3 a 0, neste domingo, no Maracanã, e segue embalado no Campeonato Brasileiro. Gabigol, duas vezes, e De Arrascaeta marcaram os gols rubro-negros.

Primeiro Tempo

No primeiro tempo, o domínio do Flamengo foi absoluto. E logo aos 10 minutos Gabigol abriu o placar com um golaço. Ele recebeu belo passe de Arracaeta e tocou por cima do goleiro Weverton: 1 a 0. Aos 37 minutos, mais um gol do Mengão. Bruno Henrique cruzou na medida para De Arrascaeta marcar de cabeça: 2 a 0.

Segundo Tempo

O Flamengo se manteve absoluto no jogo e não demorou a ampliar o placar. Diogo Barbosa derrubou Rafinha na área e o árbitro marcou pênalti. Aos 15 minutos, Gabigol foi para a cobrança e marcou: 3 a 0. Foi o 14° gol do atacante no Brasileiro. É o artilheiro isolado. No ano, Gabigol já tem 28 gols.

E ficou assim: 3 a 0 Mengão com direito a show do time em campo e da Nação na arquibancada.

E agora?

O Mais Querido volta a campo no sábado (dia 7), no Mané Garrincha, para enfrentar o Avaí, pelo Brasileiro.


Classificado! Mengão empata com Inter por 1 a 1 e está nas semifinais da Libertadores

Classificado! Mengão empata com Inter por 1 a 1 e está nas semifinais da Libertadores

CLASSIFICADO! O Flamengo empatou em 1 a 1 com o Internacional no Beira Rio, em Porto Alegre, e garantiu vaga na semifinal da Conmebol Libertadores. A partida foi realizada na noite desta quarta-feira (28) e o gol rubro-negro foi marcado por Gabigol. Por ter vencido o confronto de ida por 2 a 0 no Maracanã, o empate foi o suficiente para assegurar o Mengão na próxima fase.

O jogo
O Flamengo começou a partida indo ao ataque. Antes de completar o primeiro minuto de jogo, Arrascaeta bateu colocado de canhota e Marcelo Lomba espalmou. Na sequência, com um minuto e quarenta, Cuellar encontrou Gabigol bem colocado e o atacante saiu frente a frente com o goleiro, que fez defesa difícil e mandou para escanteio. O jogo foi ficando mais truncado após os primeiros bons momentos do Mais Querido e o Internacional tentou uma marcação mais alta. O Rubro-Negro não se abalou e conseguiu trocar passes e ter mais posse de bola no setor ofensivo.

Aos 21, o capitão Everton Ribeiro recebeu passe de Rafinha e arriscou de fora da área. Porém, o chute acabou indo no meio do gol e o camisa 1 colorado fez a defesa. O Mengão continuou no ataque mesmo com a vantagem no placar agregado e, aos 23, foi a vez de Bruno Henrique mandar um chute forte no canto para outra interceptação do goleiro. Mantendo o melhor momento na partida, o Flamengo chegou bem mais uma vez, aos 36, em chute potente de Filipe Luís para defesa de Marcelo Lomba. A última oportunidade do Mais Querido na primeira etapa foi com Gabigol, após bom passe de Bruno Henrique. O camisa 9 chegou pelo lado esquerdo e mandou para fora.

Na segunda etapa, o Inter foi mais ofensivo. A equipe mandante precisava da vitória por três gols e chegou marcou o seu gol aos 16 minutos, em cabeçada de Rodrigo Lindoso após cobrança de falta lateral. o técnico Jorge Jesus colocou Berrío na partida e logo no primeiro lance o colombiano fez boa jogada e a bola quase chega limpa para Gabigol. Não foi neste lance, mas, aos 39, Bruno Henrique avançou pelo lado esquerdo e a bola chegou nos pés do artilheiro do Mengão, que empurrou para o fundo da rede. O Mais Querido empatou o jogo com Gabigol e o empate permaneceu até o final. Com o empate no Beira Rio por 1 a 1 e a vitória no Maracanã por 2 a 0, o Rubro-Negro garantiu a vaga na semifinal da Conmebol Libertadores!

E agora?
O Mengão encara o Grêmio na semifinal da Conmebol Libertadores. A primeira partida será em Porto Alegre, no dia 2 de outubro, e o segundo confronto será no Maracanã, no dia 23 do mesmo mês. No próximo domingo (01), o Flamengo encara o Palmeiras no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

Escalação do Flamengo:
Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Marí, Filipe Luís (Renê); Cuéllar (Piris da Motta), Gerson, De Arrascaeta, Everton Ribeiro (Berrío), Bruno Henrique e Gabriel Barbosa.


Felipão diz que Palmeiras joga bonito, mas “pagou pelos erros” em eliminação na Libertadores

Felipão diz que Palmeiras joga bonito, mas “pagou pelos erros” em eliminação na Libertadores

Minutos depois da eliminação do Palmeiras na Copa Libertadores, o técnico Luiz Felipe Scolari analisou a derrota por 2 a 1 para o Grêmio, nesta terça-feira, no Pacaembu, e disse que erros pontuais do Verdão custaram a queda no torneio.
Em entrevista coletiva, Felipão mostrou calma ao falar sobre a derrota. O Palmeiras abriu o placar com Luiz Adriano, mas sofreu a virada ainda no início do primeiro tempo, com gols de Everton e Alisson.
+ Leia mais notícias do Palmeiras

– Posso dizer que pagamos caro pelos nossos erros do primeiro tempo, tanto na parte defensiva como na ofensiva. Criamos boas oportunidades e não conseguimos fazer o segundo gol – analisou Felipão.

– Pagamos por erros que cometemos e sabíamos, estudamos o adversário. Tínhamos a consciência das situações desenhadas. Por alguma razão não estávamos no lugar certo. Pagamos com a eliminação em uma situação que era interessante para nós. Saímos vencendo. Agora é tentar corrigir para, no futuro, as coisas não acontecerem da maneira que aconteceram – completou.
Apesar do desempenho ruim no Pacaembu, Felipão afirmou que o Palmeiras é um time que apresenta bom futebol:

– O Palmeiras joga bonito, tem resultados. Hoje jogou de forma razoável. Errou atrás e na frente. Cada um faz a sua ideia de jogo, não vou discutir com vocês.

Felipão, agora, tem cinco eliminações em cinco torneios com mata-matas desde que voltou ao Palmeiras, em julho do ano passado – são duas Libertadores, duas Copas do Brasil e um Campeonato Paulista. Para o técnico, é hora de aprendizado:
– Nós temos lições ano a ano. Temos a lição do Cruzeiro ano passado, a lição do Inter esse ano e agora mais essa lição. Ou aprendemos, ou vamos ser derrotados, principalmente em situações como essa, em todas as competições que disputarmos dessa forma.
– Temos que tirar essa lição de hoje de equipes altamente copeiras, como Grêmio, Boca, River, para aprender a nos comportarmos ano que vem. Mentalmente, cada um, querer algo diferente. Foi um erro coletivo. Temos que trabalhar em cima disso.
O Palmeiras, agora, volta suas atenções ao Campeonato Brasileiro e tem duelo direto contra o Flamengo no próximo domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã, pela 17ª rodada.

Veja outras respostas de Felipão:

Desempenho do time

– É hora de olhar (o desempenho). Temos qualidade, estamos colocando em jogo e ela tem aparecido. Não conseguimos concluir. Não é só a qualidade, às vezes é a chance final que não aproveitamos como estávamos aproveitando. Eu não concordo com algumas situações da sua pergunta, mas não discordo de quem entende ou possa pensar que o Palmeiras não joga bonito. O Palmeiras joga bonito, tem resultados. Hoje jogou de forma razoável. Errou atrás e na frente. Cada um faz a sua ideia de jogo, não vou discutir com vocês.

Entrada de Deyverson

– Nós idealizamos uma situação que o Deyverson entraria para dificultar a bola dos dois zagueiros e teríamos uma bola aérea melhor ainda. Mas não conseguimos criar algumas coisas. Quando criamos, o Deyverson tinha saído um pouco para trabalhar a bola e não estava presente naqueles cruzamentos que foram razoáveis. Tivemos um problema, o Bruno Henrique não conseguia mais bater na bola. A do Deyverson foi uma coisa pensada, mas não deu aquilo que imaginávamos.

Parte psicológica

– Eu não acho que você tem ou não. Com o trabalho diário, o aprendizado que temos todos os dias, conseguimos melhorar muitas coisas que para nós ainda são diferentes. Trabalho mental, dentro do campo, claro que se consegue. Eu consigo desde que tu queiras me ajudar. Às vezes eu acho que não preciso e não aceito. Mas se tu entende que precisa da minha ajuda ou da ajuda de alguém para te mostrar que aquilo está certo ou errado, vai melhorar com o teu erro ou do companheiro.

Possíveis mudanças no elenco

– Eu não posso estar discutindo assuntos internos, com a direção, aqui com vocês depois do jogo. Tem uma série de situações que precisamos conversar, trabalhar, uma série de detalhes que podemos corrigir. Aí vamos tomar algumas decisões. Aqui não dá para conversar nada disso.


CRB perde para o Bragantino e decepciona torcida no Rei Pelé

CRB perde para o Bragantino e decepciona torcida no Rei Pelé

O CRB decepcionou a sua torcida nesta terça-feira. Jogando no Estádio Rei Pelé, em Maceió, o Golo foi derrotado por 3 a 0, para o líder Bragantino, pela 19ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.
Wesley, Aderlan e Matheus Peixoto marcaram os gols para os paulistas. Com resultado péssimo, o CRB segue ocupando a sexta colocação no momento com 27 pontos, porém, mais uma vez perdeu a chance de retornar ao G4.
Na próxima rodada, ambas as equipes jogam no sábado (31). Às 16h30 (de Brasília), o CRB enfrenta o Londrina no Estádio do Café, em Londrina. Já o Bragantino recebe o Brasil de Pelotas no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, às 19h.
FICHA TÉCNICA
CRB 0 X 3 BRAGANTINO
Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL)
Data: 27 de agosto de 2019, terça-feira
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Roger Goulart (RS)
Assistentes: Leirson Peng Martins (RS) e Lucio Beiersdorf Flor (RS)
Cartões amarelos: Willie, Victor Ramos e Lucas Abreu (CRB); Léo Ortiz (Bragantino)
Gols: Wesley, aos 23 minutos do primeiro tempo; Aderlan, aos sete minutos do segundo tempo; Matheus Peixoto, aos 30 minutos do segundo tempo (Bragantino)
CRB: Vinícius; Júnior, Wellington Carvalho, Victor Ramos e Igor (Bryan); Claudinei, Ferrugem (Élton) e Lucas Abreu; Willie (Felipe Ferreira), Alisson Farias e Léo Ceará. Técnico: Marcelo Chamusca.
BRAGANTINO: Júlio César; Aderlan (Robinho), Léo Ortiz, Ligger e Rafael Carioca; Ricardo Ryller, Uillian Correia (Barreto) e Claudinho; Matheus Peixoto, Wesley e Morato (Vitinho). Técnico: Antônio Carlos Zago.


Marta sofre lesão na coxa e é cortada de torneio amistoso da seleção brasileira

Marta sofre lesão na coxa e é cortada de torneio amistoso da seleção brasileira

A alagoana Marta não disputará os primeiros dois jogos da seleção brasileira feminina sob o comando de Pia Sundhage. A meia-atacante foi cortada nesta segunda-feira por lesão.

O departamento médico do Orlando City informou à CBF que a atleta sofreu uma lesão muscular do bíceps femoral da coxa esquerda, constatada como de grau 2.

A comissão Técnica ainda não decidiu se convocará outra atleta para a vaga da sua camisa 10. Neste momento, a tendência é de que não exista reposição.

A jogadora estava na lista da técnica sueca para a disputa de um quadrangular amistoso em São Paulo. O Brasil enfrenta a Argentina, nesta quinta-feira, às 21h30, no Pacaembu.

Chile e Costa Rica fazem o outro jogo da disputa. Os vencedores do primeiro jogo se encontram na final e os perdedores na disputa de terceiro lugar.

Meia do Real Madrid, Thaísa também foi cortada do torneio amistoso por lesão. A jogadora do clube espanhol foi substituída por Aline Milene, da Ferroviária.


Com golaço de Arrascaeta, Mengão vence o Ceará por 3 a 0 no Castelão

Com golaço de Arrascaeta, Mengão vence o Ceará por 3 a 0 no Castelão

Vitória espetacular! Em partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Flamengo entrou em campo na noite deste domingo (25), na Arena Castelão, e venceu o Ceará por 3 a 0. Os gols do Mengão foram marcados por Pablo Marí e Gabigol, no primeiro tempo, e Arrascaeta, no segundo, em uma linda bicicleta. Com o resultado, o Mais Querido chegou aos 33 pontos na competição.

O jogo
A partida começou bastante pegada no meio-campo, com as duas equipes brigando pela posse de bola e cometendo algumas faltas. Aos 14 minutos, o Mengão chegou com perigo pela primeira vez. Gabigol levou a bola pela esquerda e cruzou rasteiro para Berrío, livre, bater por cima do gol. Aos 21, o Mais Querido abriu o placar com um golaço de Pablo Marí. Após cobrança de lateral para área, Rodrigo Caio cabeceou para o meio, Berrío escorou a bola e o defensor rubro-negro soltou a bomba para o fundo das redes: 1 a 0 Fla!

O Mengão queria mais e foi para cima do Ceará. Aos 34’, Renê saiu da esquerda e cortou para o meio. O lateral rolou para Gabigol, na direita. O camisa 9 achou Berrío, que invadiu a área e cruzou para trás. O artilheiro do Brasileirão dominou e bateu forte, sem chances para o goleiro do Ceará: 2 a 0. E a primeira etapa terminou com o Rubro-Negro em vantagem.

No segundo tempo, o Rubro-Negro manteve a mesma pegada e buscava ficar com a posse de bola trocando passes no campo de ataque. O lance de perigo veio aos 32 minutos com Gabigol. De Arrascaeta serviu o artilheiro na direita, o atacante chutou cruzado e a bola tirou tinta da trave. Logo depois, o Fla voltou a assustar. Arrascaeta lançou Everton Ribeiro, que cruzou da esquerda. Arão apareceu como elemento surpresa na entrada da área e cabeceou para fora, passando rente à trave.

Aos 51’, uma pintura no Castelão! Rafinha é lançado pela direita, foi a linha de fundo e cruzou. Arrascaeta acertou uma linda bicicleta, atrás da marca do pênalti, e a bola vai no ângulo do goleiro para marcar um golaço! E com este lindo gol, o juiz terminou a partida com o Mengão vencendo por 3 a 0.

E agora?
Nesta segunda-feira (26), a delegação rubro-negra segue viagem para Porto Alegre. O Flamengo enfrenta o Internacional na próxima quarta (28), às 21h30, no Beira Rio, pela partida de volta das quartas de final da Copa Libertadores. No primeiro confronto, o Mais Querido venceu por 2 a 0 no Maracanã.

Escalação do Flamengo
Diego Alves; João Lucas (Rafinha), Rodrigo Caio, Pablo Marí, Renê; Piris da Motta, Willian Arão, De Arrascaeta, Gerson (Everton Ribeiro), Berrío (Bruno Henrique) e Gabriel B.


CSA empata com o Cruzeiro com gol contra após jogada de Apodi

CSA empata com o Cruzeiro com gol contra após jogada de Apodi

Vários torcedores do CSA deixaram o Estádio Rei Pelé mais cedo, desanimados com a derrota parcial para o Cruzeiro, em duelo disputado entre as equipes na noite deste domingo, pelo Brasileirão. Mas perderam um ponto importante de sua equipe. No último lance, com um gol contra após chute de Apodi, o Azulão conseguiu o empate por 1×1.
O Cruzeiro iniciou vencendo a partida, com gol de Fred, aos 10 do primeiro tempo. No entanto, na etapa final do confronto, a Raposa deixou o jogo correr, fez o tempo passar para garantir a magra vitória e se deu mal: em cruzamento de Apodi, no último lance, aos 48 do segundo tempo, Fabrício Bruno tocou na bola e confundiu Fábio, superando seu próprio goleiro e jogando contra o patrimônio.
O CSA segue em 19º lugar com 12 pontos, mas impediu que o Cruzeiro abrisse diferença do Z4. O gol foi extremamente prejudicial ao time mineiro. Antes a Raposa alcançava os 17 pontos e se distanciava dos quatro últimos colocados. Mas com o empate no último minuto os mineiros somam 15 pontos e ficam provisoriamente na 16ª posição. Uma vitória da Chapecoense sobre o Botafogo, nesta segunda-feira, no Engenhão, coloca a Raposa novamente no grupo dos times que vão para a segunda divisão.
O CSA enfrenta o Bahia na próxima rodada, na Fonte Nova, no sábado, às 17h (de Brasília). O Cruzeiro recebe o Vasco, no domingo, no Mineirão, às 19h.
Primeiro tempo
O técnico Rogério Ceni pensou para o duelo contra o CSA aproveitar toda a sua força ofensiva. A escalação antes da partida mostrava um grupo com David, Thiago Neves, Marquinhos Gabriel, Pedro Rocha e Fred na frente. A formação seria, portanto, apenas com um volante, o já conhecido 4-1-4-1, muito utilizado recentemente pelos clubes.
Todavia, o treinador celeste teve um problema antes mesmo de entrar em campo. O atacante Pedro Rocha não pôde entrar em campo com um problema estomacal. Diante disso, Robinho foi para a partida. Ceni percebeu taticamente que teria sua equipe com mais técnica, no entanto, mais lenta.
Os primeiros minutos mostraram o jogo bastante estudado. O CSA não conseguia aproveitar o fator casa e não era forte o suficiente para avançar até o campo ofensivo. Trocava passes na defesa, sem lugar, sem espaço para avançar. A marcação celeste estava muito bem encaixada.
Por outro lado, quando o Cruzeiro tinha a bola em seu campo defensivo, também encontrava problemas para sair jogando, pois o CSA também buscava a frente com força e não dava a liberdade que a Raposa queria.
Aos 10 o Cruzeiro conseguiu seu primeiro gol. Em boa bola para Orejuela, o lateral dominou no peito e cruzou. Thiago Neves desviou e o goleiro Jordi fez a defesa. No rebote, Fred – que acabou com o jejum de gols na última rodada, na vitória sobre o Santos, por 2 a 0 – voltou a balançar as redes.
O comportamento do Cruzeiro tático era interessante de observar. Com mudanças na última hora, era possível perceber uma variação da Raposa para sair jogando. Em alguns momentos com Robinho em outras com Thiago Neves. Esses aproximavam da zaga e iniciavam a criação de jogadas.
Aos 22, Thiago Neves voltou a levar perigo. Em forte chute de fora da área, o meia mandou no cantinho e a bola parou nas mãos de Jordi que teve alguma dificuldade de conseguir fazer a defesa. Minutos depois foi a vez de David também arriscar e Jordi voltar a pegar.
O CSA conseguia chegar pela direita, mas falhava nas oportunidades, sempre com cruzamentos que não resultavam em nada.
Segundo tempo
Na volta do intervalo, o jogo foi diferente, muito travado no meio campo. O Cruzeiro tinha problemas na criação de jogadas e pouca atitude entre a defesa e o ataque. Com isso, os homens da frente precisavam se desdobrar para participar mais do jogo.
O CSA, por sua vez, conseguiu atacar mais. Não era fácil criar tanto, mas a equipe conseguia ser mais incisiva em relação ao adversário. O time de Ceni não conseguia segurar mais a bola no ataque e, por isso, o treinador fez uma alteração em campo. Tirou Robinho e colocou Jadson. Ainda assim não adiantou.
Aos 20 o CSA chegou com muito perigo. Em cruzamento na área, Jonatan Gomez chutou quase da pequena área e o goleiro Fábio fez ótima defesa.
Cachorro dribla o gandula!
Aos 31 minutos de jogo, a partida precisou parar para um cãozinho dar o ar da graça. O pequeno cachorrinho invadiu o gramado e o gandula que tentou pegá-lo terminou com a cara no chão. Após alguns minutos, o animal deixou o gramado por vontade própria, pois nenhum atleta conseguiu alcançá-lo.No último minuto o CSA conseguiu o empate. Em cruzamento de Apodi na ponta direita, Fabrício Bruno jogou contra o próprio gol.
FICHA TÉCNICA:
CSA 1 x 1 CRUZEIRO
Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió-AL
Data: 25 de agosto (domingo)
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Nailton Junior de Sousa Oliveira (CE)
VAR: Joao Batista de Arruda (RJ)
Gols: Fred, aos 10 minutos do primeiro tempo (Cruzeiro); Apodi, aos 48 do segundo tempo (CSA)
Cartões: Luciano Castán, João Vitor, Bustamante (CSA); Cacá, Jadson, Fábio (Cruzeiro)
CSA: Jordi; Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Carlinhos; Naldo (Euller), João Vítor, Jean Cléber (Apodi) e Jonatan Gómez; Héctor Bustamante e Alecsandro (Victor Paraíba)
Técnico: Argel Fucks
CRUZEIRO: Fábio; Orejuela (Edilson), Cacá, Fabricio Bruno e Dodô; Henrique, Marquinhos Gabriel, Robinho (Jadson), Thiago Neves e David; Fred (Sassá)
Técnico: Rogério Ceni.

Fonte: Gazeta Esportiva.


Flamengo tem o melhor ataque do futebol brasileiro na temporada 2019

Flamengo tem o melhor ataque do futebol brasileiro na temporada 2019

O Flamengo tem o ataque mais letal do futebol brasileiro em 2019. Não, não é uma opinião, é um dado. Com a goleada por 4 a 1 sobre o Vasco neste fim de semana – a maior sobre o rival neste século -, o Rubro-Negro chegou aos 82 gols em 44 jogos na temporada, ampliando a vantagem sobre o Atlético Mineiro, segundo no ranking com 77 bolas na rede em 49 partidas.

E o time da Gávea não só é quem mais vezes marcou entre os clubes da Série A, como detém também a maior média entre os clubes: 1,86 por jogo. Neste quesito, quem aparece em segundo é o Grêmio, com 1,68 g/j, seguido pelo Santos, com 1,61 g/j.

No Campeonato Brasileiro o número também impressiona. São 32 tentos em 15 rodadas, uma média superior a dois por confronto. São sete a mais que o Peixe, líder da competição e segundo ataque mais positivo. Não à toa a equipe conta com o artilheiro e o vice, Gabriel Barbosa (11) e Bruno Henrique (8), respectivamente, além do maior garçom, Arrascaeta (6).

Ao olharmos o desempenho ofensivo desde a chegada de Jorge Jesus, fica nítida também a evolução. Mesmo só tendo disputado jogos de Brasileirão e mata-mata de Libertadores e Copa do Brasil – nenhum duelo de Estadual, onde o nível é menor -, o Flamengo marcou 21 vezes em 10 jogos. Ou seja, manteve a média de mais de mais dois tentos por duelo mesmo em confrontos considerados mais difíceis. Uma arma que coloca o Flamengo na briga pelo título de maneira contundente.
TIMES COM MAIS GOLS EM 2019

1º – Flamengo – 82 gols

2º – Atlético-MG – 77 gols

3º – Grêmio – 76 gols

4º – Bahia – 71 gols

Fluminense – 71 gols

6º – Athletico – 69 gols

7º – Santos – 67 gols

8º – Cruzeiro – 66 gols

Palmeiras – 66 gols

10º – Ceará – 59 gols

TIMES COM AS MAIORES MÉDIAS DE GOLS EM 2019

1º – Flamengo – 1,86 g/j

2º – Grêmio – 1,68 g/j

3º – Santos – 1,63 g/j

4º – Fluminense – 1,61 g/j

5º – Atlético-MG – 1,57 g/j

6º – Athletico – 1,53 g/j

Palmeiras – 1,53 g/j

8º – Cruzeiro – 1,50 g/j

9º – Bahia – 1,47 g/j

Ceará – 1,47 g/j.