Alagoas tem o segundo pior desempenho do País na geração de emprego, diz Caged

Alagoas tem o segundo pior desempenho do País na geração de emprego, diz Caged

Alagoas fechou 2.255 postos de trabalho com carteira assinada em fevereiro, uma queda de 0,65% em relação a janeiro, segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na tarde desta segunda-feira (25), pelo Ministério da Economia.

O resultado de fevereiro decorre das 8.189 contratações e dos 10.444 desligamentos. Trata-se do segundo pior desempenho do País, à frente apenas de Pernambuco, que registrou o fechamento de 12.396 vagas formais no mês.

No mês passado, seis estados nordestinos puxaram para baixo a criação de vagas com carteira assinada na região. Além de Alagoas e Pernambuco, os destaques negativos foram Rio Grande do Norte, que registrou a extinção de 2.249 postos formais de trabalho, Sergipe (menos 2.162 vagas), Maranhão (-982) e Piauí (-400).

Com o resultado de fevereiro, Alagoas acumula uma perda de 7.311 postos de trabalho com carteira assinada no ano, uma retração de 2,08% em relação aos dois primeiros meses do ano passado.

Em todo o Nordeste, foram eliminados 12.441 postos com carteira assinada. A região foi a única do País a registrar saldo negativo em fevereiro, destaca o Ministério da Economia.

Em fevereiro, a queda na criação de empregos em Alagoas foi puxada pela indústria de transformação – que inclui as usinas de cana-de-açúcar -, que eliminaram 1.138 vagas com carteira assinada, uma retração de 1,78% em relação a janeiro. O volume é a diferença entre as 1.019 admissões e os 2.157 desligamentos no mês.

Também contribuiu para a retração o desempenho do setor agropecuário, que eliminou 1.619 vagas formais de trabalho, uma queda de 13,71% em relação ao mês anterior. O saldo do setor corresponde à diferença entre as 113 admissões e as 1.732 demissões em fevereiro.

Como destaque positivo, destacam-se em fevereiro os setores da construção civil, que abriu 327 vagas – diferença entre as 1.080 admissões e os 753 desligamentos – e os serviços, que criaram 292 vagas – resultado da diferença entre as 3.858 contratações e os 3.566 desligamentos.

Municípios

Segundo o Caged, o município de Atalaia puxou para baixo a geração de empregos em Alagoas, com a eliminação de 1.556 postos de trabalho com carteira assinada. Além dele, tiveram desempenho negativo os municípios de Penedo, que fechou 801 postos formais de trabalho, Pilar, com menos 369 vagas formais, Penedo (menos 311) e São Miguel dos Campos (menos 152.

Na outra ponta, merecem destaque os municípios de Maceió, que abriu 883 vagas com carteira assinada em fevereiro – crescimento de 0,46% em relação ao mês anterior -, Rio Largo, que criou 232 postos formais de trabalho, e Coruripe, com a criação de 127 vagas com carteira assinada.

Em todo o País, foram criadas 173.139 vagas em fevereiro – resultado de 1.453.284 admissões e 1.280.145 demissões. Nos dois meses do ano, o saldo de geração de empregos formais chegou a 211.474. Nos 12 meses terminados em fevereiro, foram criados 575.226 postos de trabalho.


Deixe um comentario